Diablo® III

O Condado de Whimsy

ATENÇÃO: este conto contém SPOILERS do jogo Diablo 3. Se você nunca ouviu falar sobre o "Condado de Whimsy" este conto não será interessante para você. Se assim mesmo você quiser ler o conto, procure antes na internet sobre o assunto para que esse conto faça sentido.

Josias o Melancólico

A lua está cheia no céu, poucas nuvens se atrevem a atravessar seu caminho esta noite. Árvores sem vida com galhos desgrenhados e troncos grossos cheios de lodo formam uma alameda medonha. Quase não se vê a estrada que está coberta por um nevoeiro baixo e denso. Mais a frente uma cidade abandonada com casas velhas que parecem ter sido esquecidas por anos, talvez décadas.
Três homens caminham pela alameda em direção à cidade abandonada. Chegando na cidade começam a procurar por algo. Os dois mais a frente estavam concentrados em sua procura, mas havia um que estava um pouco atrás que parecia atormentado. Ele olhava constantemente para todos os lados. Algo estava o incomodando, talvez fosse por causa do silêncio noturno ou poderia ser por causa da escuridão em meio aos arbustos. Uma coruja quebra o silêncio com o seu piado e o desconfiado homem se assusta soltando um breve grito de medo. Willow que está mais a frente olha para trás e diz:
- Josias! Isso foi apenas uma coruja, pare de ser medroso e nos ajude a procurar algo de valor. O mineiro Tashun paga bem por anéis e outras quinquilharias que os aventureiros perdem pelas estradas –
Enquanto Willow falava, Lucius passou por trás de Josias e deu um grito:
- Booo! –
Josias se assusta novamente. Lucius ri dele, então Willow diz:
- Josias! Anda logo, vá procurar por ali, se não nos ajudar não dividiremos o dinheiro com você. E você Lucius, sabe como Josias é, essas brincadeiras só vão piorar as coisas –
Josias vai para o lado que lhe foi ordenado. Lucius então diz:
- Não sei pra que trazer esse medroso conosco, esse cara só pensa em desgraça. Acha que tudo de ruim vai acontecer a todo o momento –
Willow diz:
- Deixe de implicância homem. Josias é um cara legal, só é um pouco... Melancólico. Todos da vila sabem o que aconteceu com a família dele, depois daquela tragédia o cara ficou traumatizado. Agora vamos para aquele lado, anda -
Josias caminha devagar fazendo o menor barulho possível. Segura seu punhal que está escondido debaixo de seu manto, pois acredita que a qualquer momento um satanás pode saltar de um arbusto. Todos dizem que os demônios não existem, mas Josias sabe da existência deles. Foram eles que mataram seus pais, já o povo da vila acha que foi trabalho de assaltantes, mas Josias sabe que foram demônios. Ele estava lá e os viu estripando seus pais, ele mesmo escapou por um milagre e sabe que logo eles voltarão para terminar o serviço. Josias afirma que está sendo observado por demônios a todo o momento, mas no fim das contas acaba sendo sempre sua própria sombra ou o vento. Por causa disso ele nunca teve uma noite de sono descente, o que lhe proporcionou enormes olheiras. Ele também parece não se alimentar direito, é um homem magro de estatura mediana, tem apenas vinte e cinco anos e já aparenta trinta e cinco.
Chegando ao local Josias está trêmulo, ele não consegue se concentrar em seu trabalho. Perguntas como, por que essa cidade está abandonada? O que aconteceu com os moradores? Martelam sua cabeça a todo o momento. Não era possível que todo mundo daquela cidade um dia entraram em um censo comum dizendo “gente vamos embora e largar tudo para trás” e simplesmente partiram. Não, com certeza foi obra de satanases. Eles vieram aqui, trucidaram todos os moradores e devoraram até seus ossos. Sim definitivamente foi isso que aconteceu. Logo seu pensamento foi interrompido por uma imagem assustadora. Olhando para sua sombra ele vê uma garra demoníaca prestes a agarrar sua cabeça. Então ele se vira rapidamente e com a sua adaga em punho. É quando ele percebe que era apenas a sombra de um galho seco. Ufa! Essa foi por pouco. Mas ele não baixa a guarda, pois é isso que eles querem. O demônio é traiçoeiro e te pegará quando você menos esperar.
Chegando no local Lucius diz:
- Esse lugar é um cemitério? O que acha que encontraremos aqui? –
Willow pega um prato debaixo de um vaso, da uns tapas para tirar a poeira e diz:
- Isso aqui parece prata –
Logo Lucius volta sua atenção para o céu e diz:
- Que diabos é aquilo? Olha o tamanho daquela estrela cadente! –
Willow sem olhar diz:
- P*#$ queu Pariu, to F&#$%* com vocês hoje. Pare de prestar atenção em besteiras e me ajude a tirar a tampa desse túmulo, talvez algum moribundo tenha sido enterrado com alguma coisa de valor –
Antes de retirar a tampa eles ouvem um barulho parecido com uma trovoada, Lucius diz:
- Viu só, a estrela cadente caiu aqui perto, bem que eu vi que ela era bem grande –
Willow então diz:
- Vamos terminar aqui, depois daremos uma olhada por lá –
Ao retirarem a tampa havia um esqueleto com trapos dentro, Willow procura algo de valor no esqueleto, então Lucius diz:
Editado por XxBerserkxX#1828 em 02/10/2012 18:14 BRT
Responder Citar
- Cara eu acho que essa coisa se mexeu! –
Willow diz:
- Claro idiota, não ta vendo que eu to mexendo nele? Ta com as doideiras de Josias?
Lucius diz:
- Não cara, eu vi ela realm... –
De repente o esqueleto agarra o braço de Willow, que no susto puxa para fora do tumulo com tudo e acaba arrancando o braço do esqueleto. Os dois gritam e começam a correr, quando em dado momento acabam se separando.
Josias em meio a sua busca acha um cajado. Parece uma porcaria de madeira que não presta para nada, então Josias decide jogar fora, mas antes que o fizesse ele vê caindo do céu uma estrela cadente bastante grande. Josias logo começa a suspeitar daquilo, uma estrela caindo na terra? Logo ele ouve o estrondo e fica ainda mais desconfiado e fala consigo mesmo:
- Uma estrela caiu na terra, isso não é normal, e caiu aqui perto, tenho que avisar os outros para sairmos daqui o quanto antes! -
Josias então corre ao encontro a seus companheiros, mas no meio do caminho ele ouve o grito dos dois e para de repente. Eles os pegaram! Estão condenados! O que farei agora? Pensa Josias parado sem saber para onde ir. Então Josias avista Willow de longe encurralado por uns três esqueletos armados. Eles começam a apunhalar Willow que grita desesperadamente. O ultimo golpe acerta sua garganta, fazendo seu grito virar um gargarejo de sangue. As pernas de Josias tremem, ele quase cai com fraquezas, mas se ficar ali parado acontecerá o mesmo com ele. Com o cajado na mão ele o aperta para aliviar a tensão, e corre para o outro lado.
Correndo Josias ouve os gritos de socorro de Lucius. Ele se esconde em uma moita e permanece ali sem saber o que fazer. Depois de pouco tempo Josias sente um cheiro forte pútrido, parecido com o de animais mortos em decomposição. Esse cheiro estava sendo exalado por homens com parte de seus corpos despedaçados. Alguns sem olhos, outros sem braços, os que estavam sem pernas se arrastavam pelo chão. Então Lucius aparece correndo, Josias tenta chamá-lo, mas nenhuma palavra sai de sua boca. Lucius então tropeça em algo, algo que está vivo. Logo aqueles homens pútridos começam a agarrar Lucius, e o devorar vivo. Os gritos de Lucius pareciam não ter fim, depois de ter o escalpo devorado, o morto-vivo ainda raspava o crânio de Lucius com seus dentes. O outro mastigava um pedaço de sua gengiva, dava-se para ouvir o barulho de dente mastigando dente. Tudo aquilo era um tormento para Josias, os demônios voltaram e será uma questão de tempo até que eles o encontrem. Josias então entra em disparada e corre sem rumo, corre até perder o fôlego, até não agüentar mais, e no fim acaba caindo.
Tremulo, morrendo de medo e no fim de suas forças Josias tenta se levantar. Aquele cajado serviu pelo menos para alguma coisa afinal. Ele olha a sua volta e não vê ninguém. Será que estou a salvo? Será que não morrerei hoje? Pensa Josias. Logo seu pensamento é interrompido por uma aparição, que toma forma em sua frente. No fim Josias não acredita no que seus olhos vêem, o fantasma de uma vaca usando uma coroa está em sua frente. A vaca diz:
- Então você me trouxe o cajado, muuuuito bem, nós estamos muuuuito gratos –
Vendo aquilo Josias pensa: Uma vaca usando uma coroa está falando comigo? Os demônios me encontraram novamente! Josias começa a dar passos para trás sem se dar conta que atrás dele havia um abismo. Ele então tropeça e cai. Percebendo a altura de onde ele caiu, Josias sabe que é o fim. Agora é só esperar pela morte. Milhões de coisas passam pela sua cabeça, cada segundo parece uma hora. Ele então fecha os olhos e espera pelo fim.
Com os olhos fechados ele sente que caiu em alguma coisa fofa, como uma espécie de grama. Ao abrir os olhos Josias vê um céu muito azul, atravessando esse céu um belo arco-íris super colorido com duas nuvens em suas extremidades. Ele também sentiu um cheiro agradável de flores, mais agradável que qualquer perfume que já tinha sentido. Ele se levanta, ao olhar em volta vê o lugar mais bonito que já havia visto em sua vida, nada que já tinha visto no mundo era tão lindo e tão colorido. Seria esse o céu? O lugar para o descanso eterno? Se morrer fosse tão bom, Josias já teria se matado a muito tempo. Espera! Alguma coisa tem que estar errada, isso está bom demais para ser verdade. Pensa Josias enquanto caminha. Chegando perto de uma árvore Josias ouve uma risadinha, ele logo percebe que não está sozinho naquele lugar. Ele põe a mão por debaixo de seu manto ele segura seu punhal. De trás daquela árvore sai um ursinho com não mais que seus 50 centímetros de altura, cabeçudo e rosa. Josias já viu muitos ursos em sua vida, mas nenhum parecido com aquele. Então que ele vê mais criaturas chegando. Dois cavalos com chifres? Um tinha uma coloração roxa e brilhava e o outro era rosa e gordinho. Também tinha alguns girassóis que estavam se aproximando. É quando o ursinho diz:
Responder Citar
- Olá, bem vindo ao Condado de Whimsy, eu sou o Urso Agarradinho e esses são meus amiginhos. Unicórnio Roxo Purpurinado, Unicórnio Rosa Gorducho e essas são as Radículas.
Urso Agarradinho? Unicórnio Roxo Purpurinado? Unicórnio Rosa Gorducho? Radículas? Ao olhar para o lado Josias percebe que as nuvens têm rostos felizes, e diante de tudo que ele viu e ouviu nos últimos minutos ele tem uma conclusão sobre tudo que estava acontecendo.
Era óbvio que ele estava no Inferno Ardente sendo rodeado por satanases!!!!! Tudo aquilo era para enganá-lo, pois o demônio se delicia com a decepção e o sofrimento é ainda maior depois que você percebe que foi enganado. Josias segura forte seu punhal, ele não consegue conter a tremedeira, está acuado e morrendo de medo. O ursinho então diz:
- Qual o seu nome amiguinho? Não tenha medo, somos todos amigos aqui –
O urso diz isso se aproximando cada vez mais de Josias, com a intenção de confortá-lo. Quando o urso chega perto o suficiente, estende sua pata para que Josias a segure, como um sinal amigável. É quando para se defender, Josias da uma punhalada no Urso agarradinho, atravessando seu olho. O ursinho grita de dor e o sangue espirra em Josias, que grita junto com o urso. Os outros se assustam e correm de medo, pois em toda sua vida nunca viram um ato de violência. Josias então ao ver que os outros correm logo pensa: Estou condenado! Agora eles estão indo chamar os outros demônios! Tenho que matá-los antes que isso aconteça! Ao puxar o punhal, Josias percebe que o mesmo está enterrado no crânio do urso. Aquele maldito punhal tem que sair dali logo. Josias não tem tempo, então ele roda o punhal de toda forma tentando desesperadamente tira-lo dali o mais rápido possível. Cada vez que ele mexe no punhal o urso grita e geme, o que faz Josias se desesperar ainda mais fazendo movimentos mais bruscos. Josias finalmente desenterra o punhal da cabeça daquela criatura que agora se encontra no chão tremulante. Agora ele corre em direção aos outros, ele alcança os gira sóis e começa a pisoteá-los esmagando-os no chão.
O próximo é o Unicórnio Rosa Gorducho, que não agüenta mais correr e para numa ilha. Encurralado e ofegante ele olha para Josias, ambos estão morrendo de medo. Josias se move com cuidado, pois em sua mente trata-se de um satanás e a qualquer momento ele poderá o atacar com aquele chifre ou tomar sua forma real. Então a lei da sobrevivência dá forças a Josias que segura o punhal com as duas mãos. As pernas do Unicórnio Rosa Gorducho tomado pelo medo perde suas forças, ele deita no chão, seu coração está batendo a 200 por minuto. Josias dá um golpe tentando acertar seu coração, precisa matá-lo rápido, pois o purpurinado chamará os outros demônios a qualquer momento. O sangue começa a descer, mas aquele unicórnio não morre e sem forças não se mexe. Josias então começa a apunhalar várias vezes, mas aquele maldito unicórnio obeso não morre. Será que não tem coração? Pensa Josias. Então Josias começa a rodar o punhal lá dentro tentando achar algum ponto vital e nada. Porque aquele maldito demônio não morre logo? Estarei condenado se ele não morrer logo! Pensa Josias cada vez mais desesperado. Então Josias fecha os olhos e apunhala ele por diversas vezes. Logo cansado ele abre os olhos e percebe que o satanás obeso finalmente sucumbiu.
O ultimo sobrevivente que ainda não entrou na soma daquele massacre estava à frente de uma enorme lagoa. Olhando para uma ilha ele imagina que estaria a salvo lá, o problema é que aquele purpurinado unicórnio não sabe nadar. Ao olhar para trás ele vê aquele homem, com os olhos arregalados e cobertos pelo sangue de seus amigos correndo em sua direção gritando. Tomado pelo medo ele se joga na água e tenta nadar até a ilha.
Chegando na beira do lago Josias vê o ultimo dos demônios nadando para longe. Logo o demônio afunda e pouco tempo depois bolhas de ar emergem do lago. Josias pensa: Não! Agora com certeza sairão milhares de satanases de dentro da água e aquele demônio se erguerá em sua forma real assustadora. Esses segundos foram agonizantes para Josias que não se mexia esperando pelo pior. É quando o unicórnio roxo aparece boiando. Sim ele está morto. Josias então olha para os lados vendo que não sobrou mais ninguém e corre para onde tudo começou.
Escalando novamente aquele abismo, Josias não acredita na sorte que teve e de como foi sagaz em perceber a armadilha do diabo. Chegando no topo ele segue para o lado contrário de onde aquela estrela cadente caiu. Caminhando sem rumo Josias deixará tudo para trás, pois os demônios o acharam uma vez mais. Josias reflete sobre tudo que aconteceu e chega à conclusão de que ele é o centro da movimentação do inferno. De hoje em diante Josias seguirá seu rumo e tomará cuidado redobrado para não cair nas mãos do inferno ardente.
Editado por XxBerserkxX#1828 em 02/10/2012 19:02 BRT
Responder Citar

Por favor, relate qualquer violação do Código de Conduta, incluindo:

Ameaças de violência. Nós levamos isso a sério e alertaremos as autoridades apropriadas.

Mensagens contendo informações pessoais de jogadores. Incluindo endereço físico ou de e-mail, número de telefone, fotos e/ou vídeos inapropriados.

Assédio ou linguagem preconceituosa. Isso não será tolerado.

Código de Conduta dos Fóruns

Relatar mensagem # escrita por

Motivo
Explique (no máximo 256 caracteres)
Enviar Cancelar

Reportado!

[Fechar]