Vale-Cultura: WoW ou TV por assinatura...

Geral
Venho acompanhando essa "novidade" propagandeada por Marta Suplicy, que encabeça o Ministério da Cultura, e algumas coisas me chamaram atenção.

O Vale Cultura é um benefício que será destinado a todos os trabalhadores que ganham até cinco salários mínimos, com o objetivo de garantir meios de acesso e participação nas diversas atividades culturais desenvolvidas no Brasil.

Sancionada em dezembro de 2012 pela presidente Dilma Rousseff, a lei do Vale-Cultura (benefício de R$ 50 destinado a trabalhadores que ganhem até cinco salários mínimos) deve ter o decreto de regulamento assinado essa semana. Uma novidade anunciada pela ministra da Cultura, Marta Suplicy, no entanto, surpreende: o dinheiro do vale poderá ser usado também para o pagamento de mensalidades de TV por assinatura.

A afirmação da ministra vem cerca de uma semana após outra declaração que gerou comentários. No último dia 19, em São, Paulo, Marta afirmou em audiência pública que "não acha que jogos digitais sejam cultura". No evento, a ministra disse que, a princípio, o Vale-Cultura não poderia ser usado para a compra de videogames.

Continua aqui: http://paladinodocerrado.com/2013/03/06/valecultura/

Eu achei meio hipócrita. Vocês?
Sobre o vale-cultura, quando eu tiver acesso a ele a ultima coisa que eu vo fazer seria comprar jogos ou pagar assinatura de tv.

Sobre a declaração da ministra, acho que ela disse que nao seria cultura por nao se enquadrar no projeto do vale-cultura e nao simplismente esnobar a grande parcela adepta de games, pelo menos foi assim que eu interpretei afinal quando falamos de consoles pensamos logo em ps3 e xbox360 que são a geraçao atual de games. Quanto ta em media um game desses consoles? e um game que acabou de ser lançado? Por enquanto ainda é caro o custo de games e o vale-cultura visa que as pessoas vão a teatro, cinema ou comprar uns livros ate porque o beneficio não é um valor extraodinario.
Eu curto e amo jogos, porém também acho que isso não deva inclui-los.
vale-cultura visa que as pessoas vão a teatro, cinema ou comprar uns livros ate porque o beneficio não é um valor extraodinario.


Eu entendo... Mas TV por assinatura?
Videogame é uma forma de entretenimento, a TV por Assinatura pode ser considerada uma forma de se obter cultura pela diversidade de canais que existem, documentarios, noticias, musica, etc.......

Não acho que tenha que servir como uma forma de se comprar jogos, até por que eu particularmente considero mais uma forma de entretenimento apenas....
Eu tenho minhas dúvidas quanto a TV por assinatura. Considerando "alta cultura" é um treco extremamente relativo já que pode ser tanto uma porcaria como algo muito bom, tipo youtube.

Então acho que a polêmica não seria nem WoW e sim a TV fechada mesmo. Pessoalmente eu aprendi mais sobre história, geologia, geografia, esportes, diplomacia e essas coisas com a TVA/Net do que com a escola...

Mas também vi muitos peitinhos, azaração, porrada, bobeira e muita merda (literalmente)...
A hipócrita e a politica são melhores amigos.

Em tempo, eu assino Sky e lá tem um canal de jogos.
Se os únicos canais forem noticiários e coisas com Discovery Channel... aceito + ou menos.

Mas é claro que a TV será usada para Sport TV, seriados, futilidades.

Tem TV à cabo aqui do meu lado... não lembro a última vez que liguei a TV.
Jogos (virtuais ou não) são sim uma forma de arte. E sim fazem parte da cultura. Se tiverem paciência de lerem todo o artigo, existem várias textos científicos, bases teóricas que apoiam essas afirmações.

O que acontece é o estranhamento a uma expressão cultural relativamente nova. Convenhamos que se TV por assinatura foi considerada cultura suficiente para integrar este projeto de incentivo cultural, eu não vejo o motivo de não incluir outras formas de cultura como games ou eventos a eles relacionados.
Eu entendo... Mas TV por assinatura?

TV por assinatura tem canais que tem foco cultural, como o Discovery channel, National Geographic, entre outros. Por isso pode ser enquadrada nesse projeto.

Jogos por outro lado, exploram a diversão pessoal, mesmo existindo jogos que usam elementos da historia humana ou focam algum periodo da historia, o foco deles é entretenimento e não aprendizado.
Jogos por outro lado, exploram a diversão pessoal, mesmo existindo jogos que usam elementos da historia humana ou focam algum periodo da historia, o foco deles é entretenimento e não aprendizado.

Bom, por mais que eu concorde que jogos não são alta cultura, eles são sim cultura.

Independente de ser entretenimento ou não, que não é dicotomia de cultura, jogos são sim cultura. Alias praticamente todo tipo de entretenimento aberto é cultura.

Mas como eu já discuti tanto sobre esse conceito no outro tópico, vou me limitar a apenas isso, hahaha.
06/03/2013 13:14Citação de Shifang
Eu entendo... Mas TV por assinatura?

TV por assinatura tem canais que tem foco cultural, como o Discovery channel, National Geographic, entre outros. Por isso pode ser enquadrada nesse projeto.

Jogos por outro lado, exploram a diversão pessoal, mesmo existindo jogos que usam elementos da historia humana ou focam algum periodo da historia, o foco deles é entretenimento e não aprendizado.

Mesmo o National Geographic é entretenimento. Na época que eu assistia TV, antes de uma coisa chamada Banda Larga ficar acessível, eu assistia bastante... porque eu achava divertido. Ou seja, estava aprendendo e me divertindo.

Isso não difere de um jogo.

Isto é arte pura:
http://www.gametrailers.com/videos/vumffj/journey-launch-trailer

Isto é lógica pura, se todos jogassem jogos como este não teriam tanta dificuldade de raciocínio lógico:
http://www.gametrailers.com/videos/lrs46a/phoenix-wright--justice-for-all-tgs-06-trailer
Cara esse vale, deveria servir exclusivamente, para Cinema, Teatro, shows, Feiras de exposição, Museus e Compra de livros, assinatura de revistas ou jornal .. e coisas assim..
pensando geograficamente eu penso que tv por assinatura deve ter sido uma forma de tornar viavel para pessoas que ou tem baixa escolaridade ou pouco interesse em livro, teatro, cinema etc mas se enquadra nos padroes para receber tal beneficio. Eu por exemplo moro numa cidade que tem + ou - 20mil habitantes e nao tem livravira, cinema, teatro nem nada aqui mas tem a lojinha la no centro (pasmem eu moro a uns 15 min do centro da cidade) que vende aquela sky livre a um preço acessivel de tv parabolica e com isso voce pode adquirir pacotes fechados de canais especificos. Sei que varios vizinho aderiram a isso e pagam só telecine por 30 ou 40 reais. Tenho certeza que eles recebendo esse tipo de beneficio iriram na cidade vizinha para ir num cinema sendo que podem assistir em casa, ou comprar um livro que nao leriam... Acredito que isso acontece em varias partes do nosso brasil.
E quem paga a conta? O empresariado não aguenta mais a carga tributária, as taxas de sindicato e me inventam mais um "Vale".

Vagabundo não trabalha, pq tem Vale-leite, Vale-gás, Vale-O-CARALHO, Bolsa-Família, td isso financiado, pela alta carga tributária, usada para financiar esses absurdos assistencialistas e a robalheira alheia.

Por si, só, todos estes "Vales" ainda mais esse "Vale-Cultura"são uma aberração administrativa, uma forma de maquiar um projeto de socialismo + meios de 'meter a mão'.
E quem paga a conta? O empresariado não aguenta mais a carga tributária, as taxas de sindicato e me inventam mais um "Vale".

Vagabundo não trabalha, pq tem Vale-leite, Vale-gás, Vale-O-CARALHO, Bolsa-Família, td isso financiado, pela alta carga tributária, usada para financiar esses absurdos assistencialistas e a robalheira alheia.

Por si, só, todos estes "Vales" ainda mais esse "Vale-Cultura" é uma aberração administrativa, uma forma de maquiar um projeto de socialismo + meios de 'meter a mão'.


eu compartilho da mesma ideia que você, serio isso vai sair do nosso bolso algum dia e a gente nem vai se dar conta, mas no momento como não é isso que esta sendo discutido aqui eu prefiro nem entrar nesse tipo de argumento ;/
Segundo Wikipedia, cultura é “aquele todo complexo que inclui o conhecimento, as crenças, a arte, a moral, a lei, os costumes e todos os outros hábitos e capacidades adquiridos pelo homem como membro da sociedade”.

Ou seja, tudo o que é produzido pelo homem. Mas não podemos confundir "cultura" (definição acima) com "ser culto" (ser instruído) coisa que games não fazem tão bem quanto livros. Porem se pode revista, se pode cinema, obrigatoriamente deve-se incluir jogos na lista.
Tenho de concordar que boa parte dos jogos nem são mesmo cultura

você vai escolher um jogo hoje em dia, boa parte vai ser simplesmente quebra-quebra, e entre esses vão ter alguns com uma boa carga cultural ou histórias dignas de livros, como age of mytology, o wow (que tem mais história que MUITO livro que eu ja li, e tem vários livros que complementam o jogo), silent hill, etc
Cara esse vale, deveria servir exclusivamente, para Cinema, Teatro, shows, Feiras de exposição, Museus e Compra de livros, assinatura de revistas ou jornal .. e coisas assim..


Eu concordo em partes.

Se é para gastar com cultura. Não se deveria restringir a MÍDIA mas o CONTEÚDO. Mas daí teríamos outro problema mais conceitual. Quem vai definir que conteúdo é cultural e qual não é?

Faz parte da cultura "todo complexo que inclui o conhecimento, as crenças, a arte, a moral, a lei, os costumes e todos os outros hábitos e capacidades adquiridos pelo homem como membro da sociedade" - Edward B. Tylor (Primitive Culture, 1871) e para ele é "a expressão da totalidade da vida social do homem, caracterizada pela sua dimensão coletiva, adquirida em grande parte inconscientemente e independente da hereditariedade biológica".

Desse modo qualquer produção intelectual humana é parte integrante de cultura. O que vocês estão dizendo é que jogos não é uma expressão de alta cultura ou cultura culta ou expressão cultural transmissora de conhecimento (a bibliografia é ampla nessa denominação). Mas de alguma forma jogos são um tipo de arte (digital e virtual), é uma expressão intelectual humana.

Aliás, corrigindo jogos, livros, filmes não são cultura, são mídias de expressões culturais. Seus conteúdos são cultura, são arte e são expressões intelectuais humanas.

E vocês vão me desculpar, mas se TV por Assinatura (leia-se séries, BBB, pornografia, futebol, programas antigos da globo, programas de reconstrução de carro - Assistam History ou Discovery, vejam se tem algo cultural naquelas merdas só "Reality Shows" ) é considerado cultura para este vale (também é), não considerar jogos uma mídia de expressão cultural digna de subsídio é uma aberração conceitual. Nós temos produtores de jogos no Brasil, e eles precisavam deste subsídio de consumo muito mais do que Editora Abril ou Rede Globo.

Óbvio que o interesse do vale não é promover o consumo cultural, mas de, populistamente, distribuir dinheiro para a população direcionado para determinados segmentos (empresas) de produção cultural. Como toda Bolsa/Vale criado desde Fernando Henrique.

Fontes:
MELANDER FILHO, Eduardo. A Cultura Segundo Edward B. Tylor e Franz Boas. Gazeta de Interlagos, São Paulo, 13 mar 2009 a 26 mar 2009. História, p. 2.
MELANDER FILHO, Eduardo. A Cultura Segundo Edward B. Tylor e Franz Boas. Gazeta de Interlagos, São Paulo, 13 mar 2009 a 26 mar 2009. P. 2. Disponivel em: <http://www.gazetadeinterlagos.com.br/colunadoleitor.html#2>. Acesso em: 16 mar 2009.
TYLOR, Edward. 1920 [1871]. Primitive Culture. New York: J.P. Putnam’s Sons.1.
LARAIA, Roque de Barros. Cultura. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006
Eu curto e amo jogos, porém também acho que isso não deva inclui-los.

concordo com você

Junte-se à conversa

Voltar ao fórum