StarCraft® II

Novo em StarCraft II? Experimente grátis já
A página que você está vendo ainda não está disponível no site novo de StarCraft II, mas pode ser acessada no site clássico abaixo!
Arcturus Mengsk tem sido chamado de tudo, desde herói rebelde a assassino em massa. Entretanto, uma palavra que nunca foi usada para descrevê-lo é “comum”.

Como descendente de tradicionais famílias da elite da Confederação, Mengsk teve um caminho fácil pela frente ao herdar a vasta fortuna dos seus pais e usá-la para obter fama e poder. Os recursos eram ótimos, mas seguir os passos do pai, um senador Confederado de Korhal IV chamado Angus, não servia para Arcturus. Desde tenra idade ele já estava determinado a fazer as coisas do seu próprio jeito.


Para grande aflição de seus pais, as ambições de Mengsk o levaram a se juntar ao Corpo de Soldados Confederados. Lá ele esperava aprender os segredos da prospecção, uma profissão que o intrigou por algum tempo. Assim que as tensões entre a Confederação e a União Kelmoriana brotaram, Mengsk se viu envolvido na brutal Guerra das Corporações. Como soldado, ele começou a desenvolver brilhantes táticas e habilidades de liderança, ainda que a vida militar nunca tenha sido um objetivo. Antes do fim do conflito, Mengsk deixou os soldados e começou a sua carreira de prospecção nos mundos independentes.


Após receber muito dinheiro como prospector, seu mundo virou de cabeça para baixo. Angus havia declarado a independência de Korhal da Confederação, o que foi respondido com o assassinato de toda a família de Arcturus. Apesar da intenção de cortar o embrião da revolução de Korhal, o ataque teve um efeito completamente diferente; transformou Mengsk no maior líder da rebelião. Mengsk nunca concordou com a ardente retórica anti-Confederação do seu pai no passado, mas as mortes na sua família encheram-no com um forte desejo de vingança.


Como travava uma efetiva guerrilha contra a Confederação, seus inimigos responderam bombardeando Korhal com mil mísseis nucleares classe Apocalipse. O ataque aniquilou toda a vida do planeta. Mengsk, que estava fora daquele mundo naquele momento, renomeou seus revolucionários como os Filhos de Korhal, em honra aos faleceram no covarde ataque, e continuou a sua revolução com táticas cada vez mais cruéis. No período em que os zergs e os protoss apareceram no setor Koprulu, as forças de Mengsk se infiltraram nas instalações super secretas de Jacob em Mar Sara e adquiriram planos para o Emissor psiônico, uma arma confederada capaz de levar zergs em massa à sua localização.


O emissor psiônico foi o último prego no caixão da Confederação. Apesar da matança indiscriminada que o uso do aparelho trouxe, Mengsk lançou vários emissores psiônicos em Tarsonis, o mundo capital da Confederação. Os zergs chegaram logo e devastaram o planeta, causando com isso a destruição da Confederação. Com a vitória em mãos, Mengsk partiu de Tarsonis e abandonou Sarah Kerrigan, uma fantasma que servia como sua segunda em comando, na superfície do planeta; um ato que mais tarde iria trazer desastrosas repercussões. Ao invés de matar Kerrigan, os zergs a capturaram e a transformaram na Rainha das Lâminas, um ser impiedoso que iria se tornar mais tarde a selvagem matriarca dos aliens.


Após a queda da Confederação, Mengsk declarou-se o imperador de um novo governo: a Supremacia Terrana. Enquanto o seu império começava a tomar forma, a Congregação da Terra Unificada chegou no setor Koprulu e tomou o controle de Korhal, planeta capital da Supremacia recentemente terraformado. Por conta das circunstâncias, a única alternativa de Mengsk foi juntar forças com Kerrigan, os zergs dela e também com Jim Raynor, um ex-membro dos Filhos de Korhal que agora comanda um grupo rebelde anti-Supremacia chamado Saqueadores de Raynor. Com a ajuda de seus aliados, Mengsk recapturou Korhal, mas apenas para ser traído por Kerrigan no final. Mengsk retaliou contra os zergs com consequências desastrosas; a maior parte de suas forças foram aniquiladas.


Nos quatro anos seguintes, Mengsk continuou a reconstrução e a expansão da Supremacia, sempre desconfiado de que Kerrigan voltasse a atacar. Ele também voltou a ter contato com seu filho, Valerian, uma criança nascida de um rápido relacionamento com Juliana Pasteur durante os dias de soldado de Mengsk no Corpo de Soldados. Ainda que não estivesse presente em praticamente toda a vida de Valerian, Mengsk recentemente gastou muito de seu tempo preparando seu filho para um dia herdar a Supremacia. Para o deleite de Mengsk, ele vê um pouco de si mesmo em Valerian – um homem guiado por si mesmo e ninguém mais.


As regras opressivas e a posição poderosa de Mengsk também fazem dele o alvo de vários grupos revolucionários terranos. O principal grupo entre eles são os Saqueadores de Raynor, que têm sido um incômodo constante para Mengsk desde quando ele se separou dos Filhos de Korhal. Com o objetivo de exterminar esses rebeldes, Mengsk tem usado também a propaganda para colocar a opinião pública contra os rebeldes e pintar o líder deles, Jim Raynor, como nada mais que um terrorista sangrento.


A influência de Mengsk sobre o público vai muito além de sujar a reputação de seus inimigos. Através da sua oratória perfeita e firme controle da mídia, mantém as suas atrocidades do passado – e do presente – escondidas do público. A maior parte da população da Supremacia aceita as regras do Mengsk, acreditando que ele é o único líder capaz de protegê-los das ameaças dos alienígenas no setor Koprulu. Mengsk declara que a única chance de sobrevivência da humanidade pelos dias sombrios que estão por vir é ficar unida sob a sua liderança, seja por vontade própria ou pela força.

In the four years since, Mengsk has continued rebuilding and expanding the Dominion, ever wary that Kerrigan might strike again. He has also reconnected with his son, Valerian, a child born of a brief relationship with Juliana Pasteur during Mengsk’s days in the Marine Corps. Although he was absent for nearly all of Valerian’s life, Mengsk has recently spent a great deal of time grooming his son to one day inherit the Dominion. To Mengsk’s delight, he sees a bit of himself in Valerian – a man guided by his own will and no one else’s. Mengsk’s oppressive rule and powerful position have also made him the target of various terran revolutionary groups. Chief among them is Raynor’s Raiders, which has been a constant thorn in Mengsk’s side ever since it broke away from the Sons of Korhal. On top of simply trying to exterminate these rebels, Mengsk has also used propaganda to turn public opinion against them and paint their leader, Jim Raynor, as nothing more than a ruthless terrorist.


Mengsk’s sway over the public extends far beyond tarnishing the reputations of his enemies. Through his oratorical mastery and firm control over the media, he has kept his past – and present – atrocities hidden from the public. Most of the Dominion populace accept Mengsk’s rule, believing him to be the only leader capable of protecting them from the alien threats in the Koprulu sector. Mengsk asserts that humanity’s only chance to survive the dark days ahead is to be united under his leadership, whether by choice or by force.