Guia básico para Roleplay - (em construção)

(Fixo)

Sacerdotisa Elfa Sangrenta 87
10465
Olá a todos. Resolvi escrever esse guia depois de perceber que tem uma boa galerinha interessada na “arte” do roleplaying, o que convenhamos, é uma boa notícia. Esse “manual” é dividido em várias partes, para melhor compreensão, e também pra facilitar a visualização e a procura por itens específicos. Antes de tudo peço desculpas se o texto estiver muito idiota, confuso, ou complicado; é a primeira vez que tento fazer um “guia” ou “manual”, ainda mais abrangendo um tema tão complexo e tão extenso. Além disso, resolvi explicar beeeem mastigado, pra tentar tornar o texto acessível pra gente não familiarizada com o RPG ou com o RP online. Dúvidas, sugestões, críticas (positivas ou não), por favor, deixem abaixo, mas vamos evitar posts trolls, só pra coisa não perder o intuito original que é mostrar o RP pra novatos (ou não).

Antes de tudo, minha “bibliografia”:
Livro do Jogador Dungeons & Dragons 4ª edição (PT-BR)
World of Warcraft – The Roleplaying Game (em inglês)
http://us.battle.net/support/en/article/roleplaying-policy (em inglês)
http://us.battle.net/wow/en/forum/topic/1921988114 (em inglês)
---------------------
Índice
Cap.1: Roleplaying Game
1.1)O que é roleplay?
1.2)O que é um MMORPG?
Cap. 2: Criando Personagens
2.1) RPG: um jogo de imaginação
2.2) Criando personagens convincentes
2.2.0) O BASICÃO
2.2.1) Personagem convincente. Comofas?
Cap. 3: Interpretando
3.1)Conhecimento do jogador versus conhecimento da personagem
3.2)IC e OOC, as instâncias do Roleplay
3.3) Dicas de Interpretação


Cap. 1: Roleplaying Game

1.1)O que é “roleplay”?

“Roleplay” pode ser traduzido como Interpretação de Papeis. O Manual do Jogador do D&D define como “um teatro sem script”, em outras palavras, o jogador assume o papel de um personagem e define como ele reagirá em diferentes circunstâncias.

1.2)O que é um MMORPG?

Tecnicamente um MMORPG nada mais é que um jogo online multiplayer que permite que os jogadores assumam papeis e os interpretem. Enquanto no RPG de mesa existem as fichas, onde você preenche com tudo o que for importante sobre seu char: nome, altura, peso aproximado, além de alguns traços de personalidade; no MMORPG essa “tranqueira” toda é substituída pela personagem que você cria para jogar.

Cap. 2:Criando Personagens

2.1)RPG: um jogo de imaginação

Em um RPG “tradicional”, ao criar seu personagem você define raça, classe, alinhamento, características físicas e psíquicas, e as registra em uma ficha, como dito anteriormente. Tecnicamente o único limite pra uma personagem de um RPG é a imaginação (ou falta dela...) do jogador, em especial porque as regras de RPG são bem flexíveis. Em um RPG eletrônico (seja ele um MMO ou não) as características da personagem, ao invés de serem limitadas pelo jogador, o são pelo sistema. Por exemplo, ainda que o WoW RPG assuma que você pode ser, digamos, um Orc Barbarian, no WoW isso não é possível, devido a não-existência da classe “Barbarian” (bárbaro). Caso o queira ser, é tarefa sua criar uma personagem, digamos... “convincente” utilizando um Warrior, um shaman ou até um hunter. OU SEJA, você não pode ser um orc bárbaro “de verdade” porque o sistema não admite a existência da classe “barbarian”, porém pode interpretar a classe, o que nos leva ao próximo tópico.

2.2) Criando personagens convincentes.

Tudo bem, até aqui tivemos a definição de RP, a definição de PC (playabe character, ou PJ [personagem do jogador em PT]) e uma breve conversa sobre as “limitações” do RP em um MMO. Nesse ponto, caso queira iniciar no mundo do RP você precisa ter em mãos alguns dados já definidos (lembrando que esse guia é sobre RP no WoW. Ainda que ele possa ser extrapolado para outros sistemas, a partir daqui vou usar apenas o universo de warcraft nos exemplos)
Editado por Althaea em 15/03/2012 19:06 BRT
Responder Citar
Sacerdotisa Elfa Sangrenta 87
10465
2.2.0) O BASICÃO

Raça: Apesar de ser uma escolha fácil, ela pode tornar seu RP difícil. O que quero dizer é, algumas raças possuem uma lore IMENSA e complexa, além de normas sociais muito bem definidas e latentes (o melhor exemplo são os n. elves). Então, ao determinar sua raça, tente ao menos ler sobre a história recente dela, isso evita várias situações esdrúxulas ou anti-RP que serão citadas mais adiante.

Sexo: Dentro da lore recente do WoW, o sexo da personagem vai determinar somente... o nome. As raças do wacraft não possuem diferenciação bruta entre os sexos, sendo assim a maneira de interpretar não é DIRETAMENTE influenciada pelo sexo da personagem. Atente ao “diretamente”, já que algumas combinações raça/ sexo/ classe TENDEM a mudar ligeiramente a forma de interpretação, devido a “peculiaridades raciais”.

Nome: Certo, o nome é a parte mais complicada do RP. Nomes que todo mundo (*cof *cof*) acha bacana, tipo... “Soufodadingding”, “Linduxaxx”, “Tematei”, “Correnegada”, além de outros exemplos piores ainda são INVÁLIDOS. Em um realm RP o nome disso é REPORT, e SIM, a blizzard obriga a troca de nome. Pense no nome pro seu char como pensaria no nome pra um filho. Alguém teria coragem de batizar o rebento de “Soufodadingding”? Se tiver é um sádico doente mental. Sério.

Enfim, ao dar um nome ao personagem, tenha em mente que ele precisa de um nome, e não de um... ehr... título?. Na política de nomes pros realms RP a blizzard deixa claro que os nomes precisam ser reais, ou pelo menos baseados em um universo fantástico.

HELLO, alguém falou aí do randomize name? Se não disse agora tá dito. Sim, aquele botão nanico que dá uns nomes horrendos é a melhor forma de encontrar uma base pra um nome digno de RP. Eu não digo clicar e pegar, porque geralmente os nomes são TERRÍVEIS, mas eles servem como base pra ter uma noção da sonoridade dos nomes nas línguas presentes no game.

Nomes élficos, por exemplo, tendem a possuir sons ligeiramente nasais, além de soarem mais “musicais”. Digamos que a língua dos elfos, pelo menos no que se refere à sonoridade, se parece bastante com uma mistura entre as línguas latinas e o inglês britânico. Então usando o randomize algumas vezes, pegando o prefixo de algum nome, e o sufixo de outro, dá pra criar algo élfico e não tão horrendo assim. Um exemplo é Aeden (pronuncia-se “Éden”, mas isso foi uma coincidência infeliz). Esse é um nome que fiz juntando o prefixo “Ae-“, que aparece freqüentemente em nomes élficos, com o sufixo “-den”, que também é comum. Nome bonito, élfico e de acordo com as políticas. Sem mais. Pras outras raças o raciocínio é válido, mas fiz um “estudo” só dos nomes élficos mesmo, porque prefiro de jogar com elfos (D&Dêêêê!!! X.x)

A outra opção seria criar o char com o “nome” sendo um “sobrenome”. Isso é especialmente útil pra criar nomes legais de night elves, gnomes e anões (na alliance) ou taurens, orcs, blood elves e goblins (na horde). Por exemplo, ao invés de batizar seu goblin recém-criado de “Fizzrak”, basta nomeá-lo “Torceporcas” ou “Batepregos” (caso venha a jogar em PT-Br). Apesar de serem sentenças, são nomes válidos, porque estão dentro do universo mitológico do game. Minhas paladina blood elf, por exemplo, se chama [Luna] Heavenfall :3

Classe:A classe é o principal determinante no seu estilo de jogo. Não apenas no estilo do RP, como também seu estilo de jogo OOC (out of character, explanações mais adiante), afinal, nem só de RP o WoW é feito, certo?
---------------------
Editado por Althaea em 15/03/2012 19:09 BRT
Responder Citar
Sacerdotisa Elfa Sangrenta 87
10465
AEW AEW AEW o básico tá determinado!!! Agora como jogo!?
Calma. Terminado tá o “basicão”. Agora vamos ao resto do tópico 2.2.

2.2.1)Personagem convincente. Comofas?

Agora já temos definido o mínimo necessário pra começar a jogar. Sendo assim, entramos agora na parte mais “refinada” da arte de criar uma personagem. Sim, me refiro a transformar um mero bonequinho com um nome legal em um ser único (mesmo com aquelas centenas de trolesas com a cara igual a sua...). A primeira coisa que você deve ter em mente é: o que me faz um ser único? Bom, a resposta é simples, você é um ser único porque tem uma identidade única (não to falando do RG, antes que me venham as piadinhas infames ¬¬). Você tem uma personalidade característica, preferências, uma história de vida pessoal.

– Ok, O QUE ISSO TEM A VER COM RP!? –

Bom... tudo. Seu objetivo ao criar uma personagem pra jogar RP é reproduzir em um boneco um ser único. É transformar aquele humano rogue com cara de... traseiro de babuíno em “Hennan, o temível matador de coelhinhos”.

– Então... basta matar critter e ser feliz? –

Er... não é bem assim. Você realmente pode ser feliz e matar os coelhinhos pra fazer jus ao nome, mas antes de sair por aí esfolando animais inocentes, deve ter em mente a trinca: Lore do game, lore da raça, lore do char. Não to dizendo que você precisa decorar a história do WoW desde o “Era uma vez titãs felizes sem nada pra fazer que acharam um planetinha no meio do nada governado pelo caos Elemental...”, eu to dizendo pra você entender o MÍNIMO pra evitar falar/ fazer/ pensar de maneira errônea ou anti-RP. O MÍNIMO (juntamente com formas de interpretação de várias classes) será explicado mais a frente no tópico Expandindo os Horizontes.

Enfim (é, eu gosto dessa palavra), depois de passar pelo tópico 2.2.0, o próximo passo é criar um background (prelúdio) pra sua personagem. Esse background é uma ferramenta pra facilitar sua interpretação, pois ela contém um resumo da história da personagem até o presente momento. Recomendo veementemente que você leia a [ficha que DEIXAREI linkada aqui, fica pronta sábado.], porque ficha é mais fácil mostrar que explicar ¬¬’ (Ah sim, lembrando, Background + infos básicas sobre o char = ficha. Deixarei aqui o link pra uma ficha minha. Sem plágios, se eu topar com RPlayer usando a minha lore vou xingar muito no twitter Ò.ó). Pois bem; com o background da personagem em mãos, juntamente com o basicão, está na hora de criar um(a) heroi(na) convincente, montando a FICHA dele(a).

1º) Descreva o char. Ele é gordo ou magro? Alto ou baixo? Tem cara de mau ou de bisonho? Cor do cabelo, cor dos olhos, idade, tudo isso entre aqui. E não se limite ao avatar que você tem in-game. Tecnicamente TODO blood elf tem olhos verdes, mas isso é uma realidade? O WoW RPG admite elfos com a íris de tons variados, do azul ao vermelho oO”. In-game os elfos sempre tem olhos verdes, simplesmente porque os olhos deles brilham com um tom de verde. Daí a blizz simplesmente pintou a íris de verde também, imagino que pra facilitar na criação dos modelos. O mesmo raciocínio é válido pras outras raças. Então... você colocou sua avatar humana com cara de tia velha, aquela que tem olhos lilás. Na sua descrição os olhos dela podem ser, digamos, verdes. O avatar é o de menos na verdade, mas sempre tente aproximar o máximo possível o boneco pixelado horrendo do heroi que você imaginou.

2º) Defina pontos fortes e pontos fracos, assim como qualidades e defeitos. Não, nem o Tirion “Expressão Suprema da Luz” Fordring é perfeito. Então porque diabos um(a) aventureiro(a) o seria?

3º) Coloque notas sobre o char. Ele tem um lema antes de entrar em combate? Como ele reage quando exposto a uma situação muito estressante? Ele vem de família pobre ou rica? Talvez nobre... ou um pária. Qualquer tipo de nota desse gênero (chamamos de miscelânea) entra aqui.

4º) Insira o background.

5º) Salve no seu PC e, ta-dan! Agora você tem uma ficha pronta pra jogar um MMORPG aproveitando a parte “RPG” do nome.
------------------------------------------
Cap.3: Interpretando.

Se você chegou até aqui na leitura do tópico, significa que se interessou mesmo sobre o RPG. Ou pelo menos significa que você é extremamente paciente, porque se no Word isso aqui já era uma muralha... que seja. Agora vamos começar a “jogar” o RPG. Sim, bem vindo ao capítulo “Interpretação”.
Editado por Althaea em 15/03/2012 19:42 BRT
Responder Citar
Sacerdotisa Elfa Sangrenta 87
10465
3.1) Conhecimento do jogador versus conhecimento da personagem

Voltemos a comparar o RPG de mesa com o MMORPG. A interpretação clássica funciona assim: você, jogador, assume o papel da personagem. Você fala como se fosse ela e raciocina do ponto de vista dela, interagindo com as outras personagens da mesa (que pertencem aos outros jogadores) e com o mestre e seus NPCs. Exemplificando:

Imagine que a Wizards (empresa que publica o D&D) lance o cenário hipotético chamado “O Coven da Rainha Vampira Maledita Suprema”, uma aventura voltada para personagens de nível Épico (digamos que isso seja +/- equivalente ao Hard-mode das raids do patch corrente ;P). Voltando ao assunto. Imagine que eu tenha comprado o cenário (vamos chamar de CRVMS), e o mestre da minha mesa (lembra do sistema?) resolva usar o bendito do cenário. Então. Vamos usar o cenário. Eu, jogadora, conheço tudo o que pode acontecer dentro do CRVMS. Mas e minha personagem? Ela conhece? Como é a primeira vez que ela visita o CRVMS a resposta é NÃO. Então as ações da minha maguinha infeliz devem ser moldadas pelo conhecimento dela, e não pelo meu. Sendo assim, tomemos, por exemplo, a seguinte situação: dentro do CRVMS há uma bifurcação. Os testes tirados no d20 indicam que o caminho da esquerda é bom, mas eu, como jogadora, sei que o da direita é melhor. Qual a solução? Simples. Engula o conhecimento. Sua personagem não sabe que o caminho ‘X’ é melhor que o ‘Y’. Então mesmo que você morra, deve escolher o caminho da esquerda, porque é o conhecimento da personagem, não do jogador que prevalece na tomada de ações.

Então, voltando ao cenário do MMO. Suponhamos que você esteja IC (in-character, interpretando) com um orgulhoso paladino justiceiro lvl 60 e, do nada, veja um rogue lvl 70 (também IC) fazendo o papel dele, ou seja, roubando uma pobre senhora. Pois bem. Segundo a orientação da sua personagem, você, paladino, ao ver tamanha ofensa a ordem e justiça; deve caçar o bendito do rogue. Normalmente “caçadas” são resolvidas com duelos. Mais tarde vou explicar como funcionam duelos em RP, mas por hora vamos considerar que você vá utilizar o /duel. Ok, você pode afirmar “o rogue é lvl 70, ele vai me massacrar!”, mas aí entra a questão: e desde quando seu paladino sabe que o rogue é mais forte que ele? Aliás, desde quando seu paladino sabe o que diabos é estar no lvl 60? Pior ainda, quando um paladino justiceiro vai deixar um bandido passar impune? Pegou? É incoerente. Então, mais uma vez, o que prevalece é o conhecimento da personagem, não do jogador.
Editado por Althaea em 15/03/2012 19:33 BRT
Responder Citar
Sacerdotisa Elfa Sangrenta 87
10465
3.2) IC e OOC: as instâncias do Roleplay

Todo diálogo de um roleplayer pode ser definido em dois grupos: falas do jogador e falas da personagem. Esses grupos estão intimamente ligados as “instâncias” do RP, IC e OOC.

IC: Vem do inglês in-character, significa literalmente “dentro da personagem”. Isso indica que o jogador está no “modo de interpretação”, ou seja, ele reserva os canais /s, /y e /em exclusivamente pra falas (ou ações no caso do /em) da personagem. Normalmente esses canais são utilizados porque eles realmente fazem parte do char. Aquilo que digitamos no /s é, na verdade, o que nossa personagem fala, tanto que a blizz fez aquelas animações tristes do char gesticulando e abrindo a boca quando usamos o /s. Mesmo sobre o /y.

O /em é um caso a parte, e um canal bem interessante. Ele permite o uso de emotes não incluídos como padrão. (Ok, são emotes sem animação ou som, mas são o equivalente a passagens do narrador em um romance por exemplo). Situações do tipo “Torceporcas lentamente gira sua cabeça e olha desconfiado para o orc” e “Heavenfall encara o outro Elfo Sangrento com ares de pena. Internamente ela acredita que não há salvação para almas tão corrompidas quanto a do bruxo” são exemplos de emotes usando o /em, que por sua vez contribuem com a imersão, dando maior profundidade aos diálogos e passagens da imersão, uma tentativa de simular o que realmente ocorre em um RPG de mesa, onde temos que descrever como a personagem reage aos estímulos que lhe são apresentados.

Normalmente os demais chats (com exceção aos supracitados /s, /y e /em) são utilizados como canais OOC, mesmo quando o jogador está IC. Isso não é uma regra, simplesmente é uma forma “polida” adotada pelos jogadores. Vale lembrar que em guildas do tipo RP, o /g comumente é utilizado pra expressões IC, mas isso não é uma regra, isso varia com o estilo de cada guilda. Outra nota importante refere-se à comunicação OOC nos chats IC. Ela normalmente é feita utilizando-se “(( sentença ))”, uma forma de “avisar” aos demais roleplayers que a sua resposta ao “ME DA GOUD!” vem de você, jogador, e não do seu char. Apesar de que já fiz altos RP legais respondendo a um “me da goud”... claro que pro infeliz não fez sentido. Mas enfim, lembre-se do esquema a seguir:

Pensamentos, emoções e ações do char -> /em
Falas, respostas, comunicação geral do char -> /s
Berros, gritos, urros (não interessa o motivo) -> /y
Instruções pra outros jogadores dentro do /em [ex.: Paladin2 tenta socar o queixo de Rogue1 ((rogue, digite /roll pra determinar se o soco acertou ou não. Roll maior vence.))] -> (( insira usa instrução aqui))
OOC no /s ou no /y [pelamor... ninguém usa o /em pra OOC] -> (( digite aqui sua sentença))


OOC: vem do inglês out-of-character, que significa literalmente “fora da personagem”. Significa que você não está interpretando, sendo assim, as falas, em qualquer canal, são “propriedade” do jogador. Os canais “oficiais” do OOC são o /p, o /1, /2, /3 ... /n (canais com números e canais de chat), mas isso não é uma regra. Muitas pessoas, pra evitarem hostilidades, jogam RP no /p com amigos, porque aí nenhum abestalhado “out” consegue ver o diálogo e complicar, mas convenhamos, não é tão legal quanto usar os canais “naturais” pra RP.

3.3) Interpretação

Ok, tenho que admitir, é impossível ensinar como se interpreta uma personagem. O que posso fazer aqui é dar dicas que auxiliam na interpretação /imersão. Deixando bem claro desde o princípio, interpretar vem de cada um, sendo assim meu estilo é diferente do seu, que é diferente do estilo do seu primo/ vizinho/ cachorro/ pato/ alien/ etc.

Então, vamos as dicas:
Editado por Althaea em 15/03/2012 19:18 BRT
Responder Citar
Sacerdotisa Elfa Sangrenta 87
10465
1)Sempre tenha em mente a história da sua personagem, isso evita que você crie situações incoerentes (aka: em um dia eu odeio rogues, no outro virei BFF de um)

2)Use o /em pra expressar as ações do seu char, elas dão uma boa noção a quem está jogando com você de como reagir (ex.: Paladin1 puxa uma cadeira e se senta. Ele toma um gole de seu caneco de hidromel e observa atentamente o mago suspeito.). Nesse caso fica claro pro bruxo (fala sério, mago suspeito só pode ser lock ou necro...) que o paladino o encara. Sendo assim fica melhor pra ele esboçar uma reação de resposta. Ele vai continuar encarando o paladino? Vai tentar fugir? Vai summonar o pandemônio pra cascar fora? Um emote bem escrito torna a experiência de imersão muito mais divertida e dinâmica pra todos os envolvidos.

3)Ainda que o /em deva ser utilizado, cuidado com “determinismo”, um emote do tipo “Paladin3 massacra o queixo de Rogue2, espalhando dentes e sangue pelo chão” é PÉSSIMO, porque não permite ao outro jogador interagir

4)Ainda no tópico anterior, evite colocar sua personagem como “O MESTRE DO UNIVERSO”. Ou seja, nem sempre você vai vencer tudo, nem sempre os outros jogadores vão precisar concordar com você. Não ache que as pessoas gostam de jogar com alguém que acha que toda a história/ interpretação e progressão gira em torno do próprio umbigo. Você pode até se divertir, mas o sentimento não é recíproco.

5)Evite o máximo possível usar os canais de forma errônea.

6)Respeite o RP alheio. Se quiser participar, mande um /whisp pra um dos participantes pedindo pra entrar no grupo, raramente você vão ouvir “não” se pedir de forma educada.

7)Tente escrever nos chats IC com o menor número possível de erros de idioma. Não, não to pedindo pra acentuar tudo e manter uma concordância perfeitinha e mimimi. É só um apelo pra que você escreva “NUNCA” e não NUMK (por exemplo), porque você NÃO FALA numk, então porque diabos sua personagem falaria? Outra coisa, abreviações... elas até podem ser utilizadas, mas se for possível evite-as ao máximo...
8)Sob NENHUMA HIPOTESE use internetês quando estiver IC. “!@#$”, “wtf?”,“LoL”, Rofl”, “Lmao” NÃO SÃO maneiras de se expressar. Se quiser rir no /s, digite “Haha”. Se quiser ser prático, digite /lol. Se quiser mandar alguém calar o raio da boca, escreva no /s: “Cale a boca!”, mas nada, repetindo, NADA dessa coisa horrenda que é o internetês.
9)Ignore os trolls. Se você estiver interpretando e algum infeliz resolver te amolar, use o /ignore. Se ele insistir, basta reportar. Não bata boca, não reaja. Acho que essa é a melhor forma de “demonstrar maturidade”. RPlayers de verdade são conhecidos por serem maduros u.ú’

10)Da mesma forma que digo “respeite o RP alheio”, também deixo claro: respeite o não-RP alheio. Se a outra pessoa não quiser jogar RP contigo... bom nada pode ser feito a respeito.

11)Divulgue o RP. Às vezes algumas pessoas vão te perguntar “o que diabos é isso?” ao verem sua interpretação. Ao invés de ignorar, apresente o RP à pessoa. Se ela gostar, é +1 pro barco, se não gostar, tudo bem, é muito difícil agradar a gregos e troianos.

12)Interprete apenas como forma de diversão, então, pegue leve com aqueles menos experientes que você. Se possível tente mostrar pra pessoa o que ela está fazendo errado (ex. de erro comum: o infeliz joga de B. elf e afirma ser um meio-elfo. É meio complicado... ou outro erro: a pessoa joga com um druida e faz da ala “sou mauzão”, coisa que –tecnicamente- é anti-RP, porque contraria a “lei máxima do RP” que é a lore do jogo.), seja conversando com ela, linkando esse tópico ou (melhor forma imo) linkando a wowpedia, o site do battle.net ou a wowwikia. Sério.

13)Não banque o sabe-tudo. Deixe pra corrigir só baboseiras como o que citei acima. Mas não o faça durante a “sessão de interpretação”. Deixa pra “puxar o cara num canto” mais tarde e explique pra ele. Também evite dar piti porque a pessoa está fazendo besteira. Pega mal, além de espantar um possível roleplayer do “glorioso caminho do RP”, pura e simplesmente porque ele foi maltratado por alguém que deveria ajudá-lo.

14)Esse fica em aberto, não consegui pensar em mais dicas. Mas vou atualizando isso aqui na medida em que o tópico for evoluindo.

--------- Aqui é o fim do texto pronto, o resto ainda está em desenvolvimento. Como ainda tenho muita coisa pra escrever, deixei 20k de caracteres (4 posts reservados pra expansão do manual. Então plz, não reportem por spam, pq não é spam x_x) ---------
Responder Citar
Sacerdotisa Elfa Sangrenta 87
10465
reservado pra continuação do manual x_x
Responder Citar
Sacerdotisa Elfa Sangrenta 87
10465
reservado pra continuação do manual x_x
Responder Citar
Sacerdotisa Elfa Sangrenta 87
10465
reservado pra continuação do manual x_x
Responder Citar
Sacerdotisa Elfa Sangrenta 87
10465
reservado pra continuação do manual x_x
(pronto, parei com "o flood". Acho que a situação vai complicar se eu acabar precisando de mais espaço pra postar... =X)
Responder Citar
Guerreiro Tauren 85
4335
tem previsão de lançamento de um servidor RP no brasil? pq sinceramente, jogo no Tol'Barad com meus colegas de MMO mas eu curto DEMAIS um roleplay e queria criar um boneco pra interpretar :)...
Responder Citar
Sacerdotisa Elfa Sangrenta 25
235
Sou muito fã de interpretação tbm,o primeiro servidor que joguei quando cheguei ao wow foi um deles,mas o pessoal não interpreta realmente,e fica chato só vc fazendo aquela drama todo,rsrs...
Gostaria muito de encontrar gente realmente interpretando :)

Eu acho que seria interessante fazer um servidor de RP Brasileiro, o próximo que lançar
Precisamos demonstrar nossos talentos teatrais *--*
Editado por Micelatye em 16/03/2012 13:09 BRT
Responder Citar
Cavaleiro da Morte Worgen 90
7070
Ficou muito bom seu guia. Parabéns
Eu, pessoalmente, adoro RP e de vez em quanto jogo V-mask com alguns amigos, quando comecei a jogar WoW não imaginava que esse tipo de jogo estava era "comum", mas depois que descobri, por um amigo, me animei e no momento estou fazendo o prelúdio do meu personagem. Espero que mais pessoas se sintam interessadas nesse tipo de jogo
Responder Citar
Sacerdote Morto-vivo 30
640
Uau, muito bom o teu guia! Eu sou um jogado de RPG de mesa, antes de jogador de MMO, e eu vou passar esse guia, com algumas alterações - caso tu autorize, claro - pros jogadores novos!

Aliás, eu sempre faço background pros meus pesonagens. O Jack Royalking, aqui, por exemplo, teve os pais assasinados, a irmã também, a fazenda tomada, foi infectado pela praga, lutou junto ao Scrouge,se libertou, lutou junto a Sylvannas, foi dado como "morto", e enterrado no cemitério de Plangemortis. Então, conseguiu se recuperar, e foi onde começou o jogo. Ah, e ele tem um irmão Worgen - que eu não criei, e se alguém quiser criar, estamos aí.

Enfim, tem mais detalhes a história, mas um background é sempre interessante!!
Responder Citar
Cavaleiro da Morte Humano 90
5560
Nossa, que bom! Finalmente um roleplayer brasileiro que sabe respeitar a lore de cada raça/classe! Aí da até orgulho! Pena que ainda prefiro jogar em realms americanos.
Responder Citar
Cavaleiro da Morte Humano 85
6545
Eu gostaria de sugerir um subtópico extra que raramente é abordado:

A inversão: E quando meu personagem sabe e eu não?

Se quiser, tenho dicas e etc. para poder ajudar. Estou à disposição.

Um abraço!
Responder Citar
Sacerdotisa Elfa Sangrenta 87
10465
Agradeço a quem respondeu, deixei o tópico parado porque tava sem conexão com a internet, mas agora acho que arrumei uma forma de logar aqui pelo menos 1x / semana pra atualizar =X (sábado eu posto a próxima parte, tô só fazendo uma checagem na parte de concordância e talz, apesar de ser completamente ignorante na matéria português, gosto de textos que fluem, acho que o meu não tá tão ruim '-').

@Royalking
Faça como queiras, se coloquei isso aqui em rede é pra que todos tenham acesso e ajudem a melhorar o texto, pra que tenhamos um guia em PT-Br tão bom quanto os que eu li no WoW - EU (que por sinal tem uma comunidade de RP muito forte - pelo menos em matéria de conteúdo).

@Akkahay
Aceito sua ajuda D:
Hmm... teu char era do Eldre'thalas quando você fez a postagem. A situação persiste?
Editado por Althaea em 28/03/2012 22:57 BRT
Responder Citar
Caçador Elfo Sangrento 95
6455
Li algumas partes, mas ainda não tudo... Pretendo ler até o final mais tarde, de qualquer modo vou usar algumas das suas dicas de agora em diante!
Responder Citar
Caçador Morto-vivo 90
5445
GUILDA SANGUE E TROVÃO NO GALL RECRUTANDO, ACEITAMOS TODOS OS TIPOS DE ROLEPLAYERS
Responder Citar
Cavaleiro da Morte Draenei 85
4875
Ótimos posts, tenho muita curiosidade sobre o estilo RP, e nunca mexi com isso por reticência sobre o dominio da lingua inglesa (já que acho que todos os servers desse tipo são dos EUA) e por não conhecer o estilo. O tópico, falando como um completo leigo, deu uma introdução muito boa à profundidade do RP. Parabéns!
Responder Citar

Por favor, relate qualquer violação do Código de Conduta, incluindo:

Ameaças de violência. Nós levamos isso a sério e alertaremos as autoridades apropriadas.

Mensagens contendo informações pessoais de jogadores. Incluindo endereço físico ou de e-mail, número de telefone, fotos e/ou vídeos inapropriados.

Assédio ou linguagem preconceituosa. Isso não será tolerado.

Código de Conduta dos Fóruns

Relatar mensagem # escrita por

Motivo
Explique (no máximo 256 caracteres)
Enviar Cancelar

Reportado!

[Fechar]