Spoiler patch 5.1, não leia se você for ally chorão!!!

(Trancado)

Paladino Tauren 90
6930
Motivos para matar o Garrosh:

Thrall: Ja teve a briga feia la, deu empate pq a Scourge atacou Ogrimmar, Garrosh decepciona Thrall a cada passo que da... não da pra não cogitar esta possibilidade.

Vol'jin: Expulsou os trolls da horda. Vol'jin ja prometeu atirar uma flexa negra sobre Garrosh.

Baine: Embora tenha perdoado o que o Garrosh fez (que não foi bem culpa do Garrosh em parte), Baine tem a intenção de "guiar a horda ao bom caminho", isto tem cheiro de "ele n tem recuperação, deve morrer".

Sylvanas: Garrosh interfere muito nos planos dela, mas a Lore seria bem imperfeita se isto acontecer.

Varyan: O filho dele foi sequestrado, é fato, eles ja não gostam um do outro, estão em guerra um com o outro, a... é bem possível.

Tyrande: Garrosh intencificou muito os ataques a Ashenvalle.

Jaina: Cara, é bem mais provavel que ela seja responsavel por um patch do que isto, mas ta, ta valendo.

Pandarens: A união da horda e da aliança contra o Garrosh pode ser simplificada pela raça principal de azeroth... e bom, Garrosh meio que quer implantar odio nessas raças, pq n né?

Drek'thar: Não sei se alguem viu a quest em que o clã lobo do gelo "traiu" a horda por não querer se unir aos renegados. A cara, tem chance sim...

Com total certeza apareceram mais... o bagulho é simples.
Não sendo um goblin ou gnomo matando o Garrosh, tera graça.
Paladino Tauren 90
6930
Outra coisa, o pai do Varyan não disse pra ele "todos os reis morrem assim" enquanto era assassinado e falecia? (tinha algo do genero, n lembro aonde li isto).

Varyan talvez não tenha a oportunidade de matar o Garrosh, pq sera assassinado, e seu filho tera de pegar seu lugar.

Ps: Chancezinha dele matar o Garrosh também...
Paladino Elfo Sangrento 90
4215
NÃO E NÃO E NÃO BLOOD ELF NÃO VAI PRA ALLY!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! SE FOR PRA ALLY EU PARO DE JOGA WOW.
Xamã Goblina 85
9050
29/10/2012 17:23Citação de Sassuke
NÃO E NÃO E NÃO BLOOD ELF NÃO VAI PRA ALLY!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! SE FOR PRA ALLY EU PARO DE JOGA WOW.

Ataque de pelanca!
Caçador Humano 90
1635
Acho possível sim,
os BE caíram na horda de paraquedas, foram seguir o kael e se deram mal.
Na lore do varian tem uma BE que é amiga dele.. Talvez os Be's tenham muito mais coisa em comum com a ally do que desavenças, e acho que seria bom para ambos os lados (loricamente falando).
Paladino Humano 86
1480
13/10/2012 06:18Citação de Chequer
Quem será o sucessor do trono de Ventobravo??


Filho da Jaina com o Kalecgos.

Ou não.

Nenhum dos dois pertence a linhagem real de ventobravo
Cavaleiro da Morte Gnomo 90
16415
Agora o negócio vai pegar fogo.

PS: Blood elfs já são modinha. Na aliança então...pffft.

Lógico que vai ter muito Blood Elf.
Tirando algumas poucas armaduras pra Draenei, Orcs, Taurens e Night Elf, os Blood Elfs ficam bem em todas! Tem um lore que eu acho legal, ainda tem aquele estilo "rebelde", no sentido de serem tipo renegados, não a banda. Essas coisas atraem as pessoas pra jogar, ainda tem uns tarados que colocam as BE em roupinhas pra ficar olhando xD
Mas nunca eles voltam pra aliança, muitas batalhas travadas, Draeneis iriam pirar na batatinha, vai contra tudo, guilds destruídas, muita gente iria parar de jogar.
ps:Experiementa achar um transmog bom pra gnomo em placa que seja autêntico.
ps1: preciso conhecer o Lore do jogo, sei muito pouco, estou bobo vendo as discussões, muitolegal.
Monge Pandaren 90
11215
oq eu penso e q farra que nem os pandas vc escolhera quem ira seguir pq a blizz nao pode muda todos os BE pra ally sendo q ja tao acostumado com a horda
Druida Elfo Noturno 90
10935
Tem tempo esse tópico, hein?

Bom, já que ele era usado pra discutir spoilers mesmo: eu acabei de completar a conquista "Operação: Muralha de Escudos", que tem a "main quest" do 5.1 onde acontecem todos esses detalhes de lore. E, depois de evitar este tópico aqui por todo esse tempo, finalmente vim ler.
Agora que posso comentar sabendo o que rolou, eu peço licença pra usar a pá de ouro aqui.

Tem gente que já deve saber porque completou a conquista já, mas agora é certeza:

(se quer o spoiler, role o texto abaixo)

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

O Anduin não morre.
Se ferrou feio, mas não morreu.

Se quiserem eu posso contar a história toda num post enoooorme (a parte da Ally).
Caso não, apenas saibam que o moleque escapou.

Eu curti bastante esse esquema de upar reputação com histórias intercaladas. Se o 5.2 for assim também eu mal posso esperar.
Caçador Goblin 90
3405
13/10/2012 06:18Citação de Chequer
Quem será o sucessor do trono de Ventobravo??


Filho da Jaina com o Kalecgos.

Ou não.

O filho(a) de uma das magas mais fortes com um ex aspecto (lider da revoada dragonica azul e detentor de um poder gigantesco), será que vai ser forte?
Tem que por um anão no trono, seria legal.
Sacerdote Pandaren 90
2345
Tem tempo esse tópico, hein?
Se quiserem eu posso contar a história toda num post enoooorme (a parte da Ally).


Cara eu gostaria de ler, ainda não cheguei lá, mas gosto de ler a história mesmo que por spoiler.
Bruxo Elfo Sangrento 90
16280
17/12/2012 08:55Citação de Pstale
Tem que por um anão no trono, seria legal.


Só se vier com uma escadinha para ele subir.
Druida Elfo Noturno 90
10935

Só se vier com uma escadinha para ele subir.


Pode reparar que a sala dos tronos em Altaforja tem uma rampinha xD


Cara eu gostaria de ler


Tão bora lá =)

A sequência de quests que compoem a "main" do 5.1 é destravada a medida que você consegue atingir certas quantidades de reputação com a Operação: Muralha de Escudos (ally) ou Ofensiva da Dominância (Horda).

A sequência da ally é assim:

[Operação: Muralha de Escudos]
[Capítulo 1: Ancoradouro do Leão]


Essa é a primeirinha missão que a gente recebe no char desde o patch 5.1. Todos os 90s da Ally são convocados a participar da ofensiva de desembarque da Aliança na praia em Krasarang. Após ir encontrar a batedora, você vê uma pequena jangada trazendo alguns poucos soldados e o Varian em pessoa. Varian reencontra Anduin, recebe dele um resumo de como são as coisas em Pandária e então se junta a você pra eliminar os atacantes da Horda que estão ameaçando a posição da Aliança naquela ponta da praia, bem como encontrar os batedores.

Acompanhado do rei, você vai assegurar alguns pontos da praia, entre eles o Santuário de Ogudei, onde a Liga dos Exploradores recebe permissão pra explorar. Com tudo seguro, rola uma cinemática onde o resto da frota da Aliança em peso - navios, submarinos e o Celesfogo - aportam na praia. Uma "mini-Ventobravo" é construída naquele ponto, com bastilhas, portos e uma torre com farol. O Ancoradouro do Leão está pronto e as missões diárias são liberadas.

Dois cenários adicionam conteúdo a este capítulo.
"Ancoradouro do Leão" mostra a defesa contra ataques da Horda ao ancoradouro, e "Um pouco de paciência" mostra a ofensiva liderada pelo Varian e pela Tyrande pra tirar um grupamento da Horda de dentro do Templo da Garça.

Enquanto isso, na Horda...

Uma amiga minha está fazendo as quests do lado da Horda, a Ofensiva da Dominância, e foi me contando o que ela ia vendo.
O cenário equivalente ao "Um pouco de paciência" da Horda é o "Adaga no Escuro", onde o jogador e o Vol'Jin são enviados na companhia de orcs Kor'kron (uma elite de orcs formada pelo próprio Garrosh) até uma caverna investigar um artefato. Após localizar o negócio, os Kor'kron tinham ordens de aproveitar a situação pra emboscar e matar Vol'Jin. Com a ajuda dos jogadores, o ataque falha - Vol'Jin não é morto, mas fica gravemente ferido.

[Capítulo 2: O homem das mil faces]

Você é chamado no Ancoradouro pra uma missão especial: localizar o agente aposentado da AVIN, Connelly, e reintegrá-lo ao contingente pra atuar como espião, que é a especialidade dele. Ele havia se aposentado, mas como diz a NPC, "ninguém simplesmente se aposenta da AVIN". Connelly agora está vivendo disfarçado, mas uma agente escondida tem seguidos os passos dele. Você deve ir até o Bar Brigalhada do Bismo (o local da Guilda dos Brigões na Aliança) falar com essa agente.

Você vai até o bar e encontra a agente, que está trabalhando de barman pra manter o disfarce. Ela primeiro te dá um teste pra ver se você é bom em reconhecer disfarces. Depois disso você é mandado até o andar de cima pra procurar um professor aposentado que gosta de bebida e porrada - este é o Connelly disfarçado.
Após descobrir o disfarce dele, o anão concorda em ser reintegrado à Aliança.

Pouco depois você já recebe uma carta dele.
Ele diz que já conseguiu se infiltrar na Horda e está acompanhando os passos do Garrosh de perto. Logo ele vai precisar da sua ajuda.

Enquanto isso, na Horda

O segundo capítulo da história da Horda se chama "Horda é Família".
Nele, Vol'Jin chama o jogador e entrega a ele sua Pedra de Retorno. Usando ela, ele encontra a casa do Thrall.
Goéu vive no Vale das Provações, servindo de xamã professor pros orquinhos do lugar, e tem uma casa no lugar onde mora com a esposa, Aggra, e o filho recém-nascido (eu fiz de tudo pra ver esse nenê, mas não tem como. Só hordas nv90 fazendo essa quest podem ver a casa do Thrall e o filhinho dele).
Enquanto o jogador está lá, um grupo de Kor'krons é enviado pra atacar a casa do Thrall a mando do Garrosh. Thrall, com a ajuda do jogador, revida ("como vocês ousam atacar o meu lar!!?"), e então segue até as Ilhas do Eco, pra planejar as próximas ações com os Lançanegra. Minha amiga não disse se ele levou a família junto pra se esconder lá.
O nome do capítulo, "Horda é Família", faz referência ao Thrall dizendo que a Horda era uma família, não a máquina de guerra que o Garrosh quer fazer dela.

[Capítulo 3: A voz dos deuses]

Você é chamado no Ancoradouro. Connelly pediu especificamente que você fosse lá no Monte Kun-Lai, onde ele está disfarçado de grômulo perto de um pequeno acampamento. Fenny Traquitana, a moça perto do grifo, está encarregada de te levar lá na pipa. Essa NPC é resposável por te levar, e durante a viagem vai te dando um resumo da história naquele momento. Ela então te deixa perto do acampamento.

Você encontra Connelly disfarçado de grômulo, e ele te dá um disfarce igual. Vocês vêem o Garrosh e um elfo frufru da ordem dos Relicários examinando um diário. Connelly te pede duas coisas: implantar escutas no acampamento e depois criar uma distração pra roubar o diário. Grômulos podem entrar e sair livremente do acampamento, porque ninguém liga pra eles - mas um cachorro no acampamento que anda pra lá e pra cá, bem como o próprio Garrosh, são capazes de descobrir o disfarce, então a proximidade com eles deve ser evitada. A distração é um tapa na bunda de cada um dos três iaques do acampamento. O escarcéu faz o Garrosh largar o diário na mesa pra ir dar bronca nos soldados ("controlem essas bestas imbecis!").

De posse do diário, você lê o conteúdo. O diário fala de um artefato criado por um grupo de artesãos mogus chamado Sino Divino. Quando tocado, ele cria medo e desespero no exército inimigo, enquanto enche de força e coragem o seu próprio exército. Esse sino foi então presenteado por esses mogus ao seu antigo líder, o Rei Trovão. Garrosh, obviamente, está doido pra botar as mãos nesse sino.

Connelly agradece a ajuda e te deixa de sobreaviso. Ele pode precisar de você em breve.

[Capítulo 4: Esperança de Jaina]

Essa é mais uma missão diplomática. Você é chamado no Ancoradouro e então enviado por um portal até Dalaran, onde o Anduin, a pedido do pai, está tentando convencer Jaina, agora a líder do Kirin-Tor, a apoiar a Aliança e tirar de Dalaran os Elfos Sangrentos Fendessol, que ainda são leais à Horda e representam um perigo. (Como a Jaina virou a líder do Kirin-Tor é explicado no livro "Marés da Guerra"). Só que o menino não parece estar tendo lá muito sucesso. Ele então pede pra você falar com ela, já que ele é só um pivete, e você que é o heróizão fodalhão do universo pode ser ouvido por ela.

Ao falar com a Jaina, ela te pede pra se colocar no lugar dela.
Você agora é o líder do Kirin-Tor. Você acha que ele deveria ser neutro ou se juntar à Ally?

Eu respondi "deve ser neutro".

E ela continuou: e se a Horda matasse seus amigos e todos que eram importantes pra você. Você ainda seria neutro?
As opções eram "sim, o Kirin-Tor deve ser neutro acima de tudo"
e a que eu escolhi era "Não sei se eu conseguiria"

Jaina agradeceu minha sinceridade e disse que éramos almas irmãs, porque ambos sofreriam com essa decisão. Ela diz que tem feito de tudo pra manter o Kirin Tor neutro, mas ainda tem pesadelos e chora todas as noites pelo que aconteceu em Theramore. Ela pede então que a ajude a explicar isso pro Anduin.

Daí rola uma cinemática, onde ela chama o Anduin pra perto da varanda. Jaina então explica que, quando Garrosh destruiu Theramore, o primeiro impulso dela foi varrer Orgrimmar do mapa. Tocar o terror lá dentro e matar cada homem, mulher e criança na cidade.

- Jaina?!
- Sim, eu não me orgulho disso.

Então ela conversou muito com o Kalecgos, falaram muito sobre o poder e como ele deve ser usado, e isso a acalmou um pouco. Ela diz que lá em Dalaran, Aliança e Horda trabalham juntas. O Kirin-Tor e Dalaran, sendo neutros, permitiam que cada uma das pessoas ali deixassem de lado a rivalidade das suas facções e colocassem o bem comum acima disso. Pra ela, a forma como se vivia em Dalaran era uma esperança pra que um dia a Horda e a Aliança como um todo pudessem viver em paz em toda a Azeroth. Ela diz ainda que o Kirin-Tor tem um histórico de abusos, com Kaelthas e Kel'thuzad utilizando seu poder pra satisfazer seus interesses pessoais, e que ela tinha a responsabilidade de não ser uma líder igual a eles.

Anduin, que é um carinha nada cabeça-dura, vê razão nas palavras dela. Ambos agradecem a sua opinião e Anduin diz que vai falar com o pai dele.

Após voltar ao Ancoradouro, você recebe uma carta do Connelly.
Uma função muito legal do addon Postal, que eu não sabia, é permitir copiar uma carta do jogo pra colar em outro lugar.

A carta do Connelly diz assim:



De: Agente Connelly

Assunto: Há algo de estranho em Kun-Lai

Agente Turokmakto-

Aqui é Connelly. Obrigado novamente por sua ajuda em Kun-Lai.

Eu estou vigiando a Horda de perto e tem muita coisa acontecendo. Os elfos sangrentos foram enviados para destruir todas as ruínas mogus que Garrosh encontrou. Resultado? Estou encontrando um monte de elfos mortos. Eu acho que eles não estão muito satisfeitos com isso. Talvez nós possamos aproveitar a oportunidade.

Eu ouvi dizer que você tem tricotado com a Jaina Proudmore. Ela continua com aquele papo de que o Kirin-Tor é neutro? Vamos ver por quanto tempo.

-Connelly



[Capítulo 5: Os Korune]

Você é chamado no Ancoradouro e de lá enviado para as proximidades de uma ruína mogu no Monte Kun-Lai.

Se minha memória não falha, é o Brann Barbabronze quem te encontra lá. Essa ruína é de um grupo de mogus chamados de Korune, que o Garrosh mandou os elfos do Relicário investigarem. Suas missões lá são matar alguns desses elfos e recolher os artefatos que eles tenham achado, e matar um mogu ali no alto que possui uma garra especial.

Então descobre-se que esses Korune, que fizeram o Sino Divino, estavam estudando o Sha e encontraram uma forma de controlar o poder dele - o mogu que você mata usa uma garra e tem ataques de Sha contra você. A garra que você consegue também é impregnada com a energia do Sha. Essa garra é então levada pra estudos e você é novamente colocado de sobreaviso.

[Capítulo 6: Coração da Aliança]

Anduin manda um recado ao Ancoradouro com urgência - querem você o mais rápido possível no Santuário das Sete Estrelas.

Ao chegar lá, você encontra o lugar todo cheio de energia do Sha, que saiu de controle daquela garra que você apreendeu no Monte Kun-Lai. Na sala dos portais, você encontra o Anduin e o Varian, com a garra. Anduin então se junta a você e os dois devem enfrentar e libertar seis soldados da Aliança que estão controlados pelo Sha.

Uma coisa digna de nota: ô ajudantinho bom, esse Anduin, viu.
Enquanto a maioria das missões de escolta envolvem ter um NPC inútil te seguindo enquanto você faz todo o trabalho, Anduin de fato faz grupo com você.
Eu coloquei ele no foco e fiquei olhando. Você ataca um soldado e o menino spamma Punição Sagrada nele. E se o seu HP cai pra menos de 30%, ele se vira pra você e vai usando Cura Maior até quase encher.

Após libertar os soldados do Sha, os líderes da Aliança (e a Jaina) se reunem lá na salinha pra decidir o que fazer com a Garra.
Garrosh está tentando estudar uma forma de controlar o Sha e transformá-lo em arma com os escritos dos Korune. A Aliança tem ali a Garra pra tentar fazer o mesmo.
A reunião conta com o Varian, Tyrande, Nobambo (representando o Velen), Brann (representando os anões), Genn, o tampinha do Celesfogo (representando o Gelbin) e a Jaina.
Varian pergunta o que cada um deles acha. O gnomo e o Brann ficam animadíssimos pra estudar a Garra. Os outros não se manifestam, e Varian pergunta o que o Anduin acha.
Anduin diz então que o Garrosh pode estar tendo a dianteira com as pesquisas dele, mas que a Aliança não precisa seguir o que ele fizer. A Aliança deve decidir sobre o que é certo. Ele concorda que estudar a garra e dominar o Sha pode ser uma vantagem, mas que pra isso eles teriam de sacrificar muitos dos homens, e que o descontrole do Sha no Santuário era um exemplo disso. Esse era um risco que ele não queria correr.

Varian então concorda com o Anduin e decide: a Aliança não tentará usar o Sha como arma. Varian deixa que a Garra liberte o Sha que a contem, e então o destrói.

Enquanto isso, na Horda

Minha amiga não me deu muitos detalhes. Só disse que a Horda havia capturado um dos cabeças dos Korune, justo o que escondeu o Sino Divino, e que o Garrosh pessoalmente "ia fazer ele falar".
Essa é a última parte da Horda que a menina me disse.
Druida Elfo Noturno 90
10935
[Capítulo 7: Segredos do passado]

Os NPCs do Ancoradouro recebem um recado do Connelly pra te mandar ao Monte Kun-Lai.

Chegando lá, Connelly está com um disfarce de pandaren. Ele te diz que o Garrosh está num acampamento escondido nas montanhas, o Avanço Garrosh'ar. Você deve matar alguns Kor'kron que vigiam o acesso e roubar um capacete, uma roupa e um par de botas. Agora disfarçado de orc, você pode andar livremente no acampamento.

Garrosh, Baine e Ishi (o chefe dos Kor'kron) estão interrogando Shan Kien, aquele mogu que a Horda havia capturado anteriormente. Garrosh quer que ele diga onde está o Sino Divino.
Shan Kien se recusa a dizer, respondendo que a lealdade dele é apenas ao Rei Trovão e que não se importa se Garrosh o matar.
Garrosh então ameaça dar umas boas porradas nele, mas Baine intervém. Ele diz que existe uma solução que não requer derramar sangue: o vinho da memória, que permitia ver o passado de Shan Tien.

Bom, o vinho tava ali. Tem problema tomar um golinho só não, né? xD

Bebendo o vinho, você vê uma pequena cinemática.
Shan Tien está na entrada do templo subterrâneo onde o Sino Divino foi guardado, e um servo dele corre pra fora pra falar com ele.
Eu não lembro exatamente o diálogo, mas é algo assim:


- Senhor, os preparativos estão prontos.
- O Sino Divino está bem guardado lá no fundo?
- Sim. Agora vou organizar a retirada dos trabalhadores.
- Não há tempo. Os Shado-Pan estão chegando perto a cada minuto. Eles não podem descobrir este lugar.
- Então as almas desses mogus protegerão esse lugar por toda a eternidade.
- Sim. O sacrifício deles nunca será esquecido. E nem o seu.


E dizendo essa última frase, Shan Tien taca um chutão no seu assistente, jogando-o lá dentro, e então provoca um desabamento que fecha a entrada.

Após completar esse objetivo, você deve voltar ao Connelly e relatar. Mas eu me demorei um tiquinho mais explorando o acampamento. E encontrei o Lor'themar lá.
Ao falar com ele, ele diz algo como "Esse Garrosh já tá enchendo o saco. Já não provamos nossa lealdade à Horda uma porrada de vezes? O quê que esse cara ainda quer com indiretinha?"

Você então reporta o ocorrido ao Connelly e diz onde o Sino Divino está. Ele agradece e coloca você no sobreaviso de novo.

Pouco depois, ele te manda uma carta:



De: Agente Connelly

Assunto: Encontrando o Sino Divino

Agente Turokmakto!

Belo trabalho de infiltração no Avanço Garrosh'ar. Nós temos uma vantagem sobre a Horda: nossa Liga dos Exploradores está milhas à frente quando o assunto é descoberta de locais históricos aqui. E o Príncipe Anduin fez amizade com os Andarilhos das Lendas.

Eu não tenho dúvidas de que encontraremos o Sino Divino antes dos capangas de Garrosh. Um esquadrão noctiélfico de elite já está preparado para guardar o artefato assim que o encontrarmos. É melhor você se preparar também. Fique de olhos abertos para agir assim que necessário!

-Connelly



[Capítulo 8: O sino divino]

Você recebe recado no Ancoradouro. Um batalhão de elfos noturnos encontrou o lugar que você descreveu e está pronto pra invadir o local, e precisam da sua ajuda.
Fanny, como sempre, te leva de pipa até o local.

Ao chegar lá, a líder desses elfos se junta a você e os dois descem até a tumba subterrânea. Cheia de armadilhas, claro.
Lá embaixo tá cheio de espíritos mogus, e um espírito maior - aquele assistente do Shan Tien - vê vocês chegando e comemora, porque ele acha que é o Rei Trovão que foi revivido e que, segundo o plano, era quem deveria retirar o lacre da tumba e reclamar o Sino Divino. Mas logo ele percebe que não são mogus descendo a rampa e mobiliza todos os espíritos pra proteger o lugar.

Após descer cerca de 2 andares cheios de armadilhas e espíritos mogus, finalmente você chega onde o espírito chefe está - junto ao Sino Divino. Você o enfrenta (a luta dele é bem legal, você tem que desviar das magias que andam pra todos os lados, parece a luta do Psycho Mantis em Metal Gear Solid), o derrota e então os demais elfos invadem o local e tomam posse do Sino. Ele é então levado a Darnassus, onde vai ser protegido e estudado.

Pra sair, é bom usar a Pedra de Retorno. As armadilhas do lugar ainda estão ativas xD

[Capítulo 9: O expurgo de Dalaran]

Notícias no Ancoradouro pedem pra te mandar voando pra Darnassus - o Sino Divino foi roubado!

Ao chegar lá de portal, você encontra Jaina, que não entende como o Sino foi roubado. Segundo ela, ela selou Darnassus. Ninguém entrou de portal, nenhum ladino passou furtivo, todos os que tentaram deram de cara com ela e se ferraram. Seria impossível um ataque externo à cidade com a Jaina ali.

Jaina então percebe traços de energia arcana saindo do lugar onde o Sino estava. Ela percebe que são magos e que aquela energia é de um portal. Como inimigos não conseguem botar um portal dentro da cidade, ele desconfia de aliados. Junto com ela, você vai seguindo a trilha de bolinhas de energia arcana, até chegar lá perto da entrada da cidade do lado de Teldrassil, onde bem entocado na floresta, tem um portal ainda aberto. Destino? Dalaran.
Jaina descobre que só podem ter sido os Fendessol, que abriram portal da cidade da Jaina pra Darnassus, se aproveitando da confiança que tinham.

E aí acaba o "Jaininha Paz e Amor".
A muié aguenta a deprê por Theramore e tenta fazer de Dalaran a Disneylândia, todos alegrinhos e em harmonia, defendeu os elfos frufrus e aí rola essa trairagem.
Normal a muié surtar, né não?

Você e Jaina usam o portal e vão bater lá na sala do líder dos Fendessol (esqueci o nome dele: Kaelis? Não lembro). Ela chega acusando ele de ter possibilitado o roubo do Sino. Ele revida, dizendo que não fez nada, mas a Jaina ainda o culpa pela vista grossa (e o portal na sala dele, ah, vai falar o quê?).
Jaina então dispara uma Lança de Gelo em cada um dos dois guardas que estão protegendo ele (dando 920k de dano em cada um!) e teleporta o cara pra uma prisão - se não me engano, o Castelo Violeta.

E aí o pau começa a comer.
Fendessóis que "se comportam" são mandados presos ao Castelo. Os que revidam se ferram ali mesmo.
Começa o Expurgo de Dalaran, onde a Jaina bota todos os elfos pra correr da cidade, por causa da traição deles.

Suas missões são:
- Incapacitar os falcodragos na Plataforma de Krasus, pra evitar fugas ("Se correr o bicho pega")
- Invadir o Santuário Fendessol e matar a galera lá dentro ("Se ficar o bicho come")
- Matar os Fendessóis nos esgotos
- Matar alguns comerciantes Fendessol na Área Comercial Magus que se recusam a se render
- Matar um Fendessol no banco de Dalaran, que quer sacar a grana e dar no pé.

E enquanto você vai correndo por Dalaran e realizando as missões, na parte aberta da cidade você vê a Jaina circulando, controlando dois elementais de água, teleportando todos os elfos pra prisão e derrubando ali mesmo os que resolverem revidar. "Vocês escolheram o seu Chefe Guerreiro ao Kirin-Tor! Agora sofram as consequências!"

Após cumprir as suas missões, você é mandado pela moça lá do Kirin-Tor (esqueci o nome dela) de volta ao Ancoradouro, enquanto a Jaina termina a faxina na cidade.
Dentro de uma das bastilhas, você encontra o Varian, e a Jaina chega logo em seguida lá.

- Jaina, o que está acontecendo em Dalaran? Houve um ataque?
- O Kirin-Tor foi traído por um de seus membros. Mas já resolvi tudo.
- Como?
- Eu expulsei a Horda de Dalaran. Você conseguiu o que queria, Majestade: o Kirin-Tor pertence à Aliança.
- Mas você disse...
- Eu sei o que eu disse. Eu confiei nas pessoas erradas.
- E os Sin'dorei? Os Fendessol?
- Os que se renderam estão sendo levados para o Castelo Violeta. Eu não me responsabilizo pelos que decidiram lutar.
- Jaina, você precisa falar comigo antes de agir...
- O que eu faço com o Kirin-Tor é problema meu.
- Eu estava tentando negociar com os Sin'dorei. Começamos a discutir a entrada deles na Aliança! Mas lançando um ataque, você os forçou a agir...
- Eles escolheram o próprio caminho.
- Você os mandou de volta para a Horda.
- Você está se enganando. Uma vez na Horda, sempre na Horda. Hoje eu entendo isso. Vou mobilizar o Kirin Tor.
- Jaina. Precisamos trabalhar juntos nisso. A Aliança precisa agir unida.
- Não me venha com essa conversa, Varian.

E nisso a Jaina se teleporta (com instant cast!) e o Varian fica lá com cara de água.
Eu falei: "Jaininha Paz e Amor" não te pertence mais. Agora a p**** ficou séria!

Então, pra quem tava achando que os Elfos Sangrentos pudessem ir pra Aliança, essa parece ser a origem do boato.
E, se havia alguma chance, a Jaina tratou de enterrar tudo. Não que isso seja ruim - não foram eles quem começaram roubando a droga do sino? E se deixa essa cambada traíra vir pra Ally?

E você é posto novamente no sobreaviso.
Pouco depois chega uma carta do Connelly.


De: Agente Connelly

Assunto: Expurgo de Dalaran

Ótimas notícias!

É, eu sei que Garrosh conseguiu pegar o Sino Divino. Mas ele quebrou MUITOS ovos para fazer essa omelete! A Jaina ficou furiosa e expulsou a Horda do Kirin-Tor. Os magos agora estão do nosso lado!

Eu interceptei algumas mensagens da Horda e tá tudo indo pro inferno por aqui! Os Fendessol estão culpando tanto o Garrosh quanto a Jaina pelo que aconteceu. Acusações! Recriminações! Que maravilha! Foi pra isso que eu me tornei espião!

-Connely



[Capítulo 10: Um aliado antigo]

Agora a Horda não é mais bem-vinda em Dalaran, mas todo mundo ainda está triste, chateado, desanimado e sem vontade de cantar uma bela canção, porque o Garrosh está com o Sino Divino.
Mas por deus, este é Anduin Wrynn! Ele é um homem que não se deixa abater por nada! Um exemplo vivo de que não devemos desistir tão fácil!
Enfim, enquanto o pessoal tava lá tudo "borocochô", ele já estava pesquisando com os Andarilhos das Lendas. Se não é possível deixar o Sino longe do Garrosh, deve haver uma forma de neutralizá-lo. E ele descobriu qual é a forma.

Você é mandado do Ancoradouro para o Monte Kun-Lai para localizar o Anduin, que saiu escondido pra lá. Mas como a Fenny é amiga do Anduin, ela já sabia onde ele estava, e como o Anduin confia em você, ela te leva exatamente pra onde ele está.
Anduin descobriu que existia uma marreta feita pelos pandaren pra contra-atacar o poder do Sino Divino. Quando essa marreta é usada pra tocar o sino, ele emite harmonia.
Essa marreta foi roubada pelo Rei Macaco, rei dos hozen, que queria fazer uma traquinagem (Lembram dele? Quem fez "Os Sete Fardos de Shaohao" sabe quem é o Rei Macaco). O Rei então nunca mais foi visto e a marreta sumiu. Anduin descobriu que o Rei Macaco foi lutar com um mogu que conseguia transformar os inimigos em Jade (que nem a Bruxa de Jade lá da Floresta de Jade fazia), e que no meio da luta ambos acabaram transformados em jade enquanto duelavam.

(Aqui tem uma referência bacana. No filme "O Reino Proibido" também há um Rei Macaco (interpretado pelo Jet Li) que é petrificado durante uma luta e a estátua dele fica lá, em pose de combate)

Anduin, que enquanto você pensa na farinha ele já chega com o bolo, já sabe como desfazer o encantamento e libertar o Rei Macaco. Só que ele não tem como libertar só o Rei - o mogu que ele estava enfrentando vai ser solto junto. Então, quando ele soltar os dois, você tem que lutar e matar o mogu.

Após a luta, o Rei Macaco agradece aos dois "galerosos" que soltaram ele e já quer partir pra festa. Mas Anduin pergunta pra ele sobre a marreta.
O Rei Macaco então dá três missões (ou "charadas" - e o legal é que ele fala tudo em rimas! xD) pra você, pra que ele te ajude:

- Recuperar um pedaço de âmbar que é protegido por um escorpião gigante no Ermo do Medo
- Pegar um barril da Cerveja de Metal com o pandaren do Santuário da Amizade, na Floresta de Jade - que sempre desafia quem pede a cerveja pra um duelo
- Derrotar o desafiante no Templo do Tigre Branco (que no fim é o próprio Rei Macaco. "Quem você esperava encontrar? O Rei Macaco nunca delega suas lutas")

Depois que você prova que não é um "galeroso fedido", o Rei Macaco pede pra você o encontrar no Ancoradouro do Leão. Você volta pra geladeira e agora o Rei Macaco pode ser visto no Ancoradouro permanentemente.
Druida Elfo Noturno 90
10935
Capítulo 11: Em busca da harmonia

Você é chamado pelo Anduin no Ancoradouro. Agora que o Rei Macaco já confia em vocês, ele vai ajudar a recuperar a marreta, que foi chamada de Marreta da Harmonia.
O Rei disse que não tinha sido uma "traquinagem" o fato dele dar sumiço na marreta - é que ele descobriu que os mogus estavam atrás dela pra destruir e os pandaren tavam marcando touca ali. Então ele a quebrou e espalhou os pedaços dela pra manter escondida.

O Rei Macaco então pede a você que:

- Recupere o cabo da marreta com o chefe Ingô Ingô, lá em Ungá Ingô. O chefe não acredita que é o Rei Macaco de verdade e precisa ser derrotado pra dar o cabo.
- Recupere a cabeça da marreta, que foi deixada com os Kunzen e passada entre as gerações - mas roubada por um bando de vermingues.
- Consiga um pouco do unguento especial pra colar a marreta, que um mogu lá no começo da muralha possui.

E você reunindo as duas partes da marreta e o unguento, o Rei Macaco então conserta a marreta. Mas ele avisa: o unguento só vai manter a marreta colada pra bater no sino uma vez.
Depois disso, a marreta quebra de novo e precisa de mais unguento pra colar - unguento esse que é raríssimo, já que os mogus quase o erradicaram no passado por saber que a marreta precisava dele.

Você é colocado de sobreaviso pela última vez. Quando você atinge a reputação de Exaltado com a Operação: Muralha de Escudos, o capítulo final da história é liberado.

Mas, antes disso, o Connelly te manda mais uma carta.


De: Agente Connelly

Assunto: Tome cuidado

Velho amigo,

Ouvi dizer que você está trabalhando com o Príncipe Anduin para achar uma forma de neutralizar o novo brinquedo de Garrosh. Escute Turokmakto, proteja o garoto. Ele pode estar indo além do que pode dar conta dessa vez. Cuida dele.

Durante o Cataclismo, Anduin ajudou a AVIN a descobrir um culto do Martelo do Crepúsculo que operava dentro de Ventobravo. O garoto vai ser o rei um dia, e não é só por causa do sobrenome. Trate de protegê-lo!

Connelly



Capítulo 12 (final): O sopro da sombra mais negra

Você é chamado às pressas no Ancoradouro. O exército do Garrosh já está se mobilizando pra lançar um ataque lá no Monte Kun-Lai, e o Ugabuga Grito Infernal vai dar a porrada no sino a qualquer momento. E, julgando que o exército da Aliança não vai conseguir se organizar a tempo pra um contra-ataque, Anduin cata a marreta e vai sozinho tentar neutralizar o Sino. Típico dele, não é?
Fanny leva você de pipa a milhão até o lugar onde o Anduin está. Sua aproximação não é percebida e você se encontra com o Anduin escondido em um dos pilares. Ele diz que você pode atacar quando quiser que ele vai estar logo atrás - se vocês não fizerem algo, o exército do Várian não vai ter tempo de fazer nada também. Ele ainda diz que vai tentar argumentar com o Garrosh antes de usar a marreta.

Garrosh está em uma espécie de terraço redondo, com o Sino Divino montado, e reunido com Ishi e alguns de seus Kor'kron.
Ele faz um pequeno discurso sobre "pegá a Aliança e PFFFFF" e então toca o sino.

Aí vemos o real poder do sino. O artefato, criado pelos Korune, faz com que o exército de quem o toca seja dominado pelo Sha. Os Korune sabiam controlar essa dominação e então usavam a força do Sha. E, em suas pesquisas, Garrosh estava conseguindo que seus Kor'kron fossem capazes da mesma coisa.
Os orcs viram pequenos shas, e você então parte pra matá-los.

Anduin então corre até Garrosh e diz pra ele não continuar com o plano dele, porque o poder do sha é muito perigoso e ele vai destruir a todos.
A reação previsível do Garrosh é cair na risada: "Então no fim não foi o Varian quem veio me enfrentar - mas o pivete! Você se atira com coragem pra morte, rapaz."

Ishi então sofre a sua transformação e parte pra cima de você. Anduin de vez em quando ajuda criando áreas onde você se cura e fica imune a magias de sombra por uns segundos (que eu não pude usar, porque eu não enxergava esses pontos com a minha máquina lagando com todo aquele efeito da energia do sha). E, enquanto luta, Ishi fica se questionando se aquilo que o Garrosh estava fazendo era certo. Se levar a Horda para a guerra, fazer com que famílias sejam separadas, que amigos sejam mortos, era o melhor caminho. E o Garrosh fica dizendo que quando a Horda acabar com a Aliança, a paz finalmente vai vir pra eles. E fica incentivando o cara a controlar a dor causada pelo domínio do Sha. Mas no fim você acaba matando ele.

Garrosh então se volta pro Anduin. Diz que Ishi era um dos melhores soldados que ele tinha, e que Anduin ia pagar por ele ter morrido.
O Anduin diz "é aí que você se engana". Ele explica pro Garrosh pra que serve a marreta e toca o sino com ela. A energia do sha que fluia dele é totalmente dissipada, fazendo clarear a plataforma (e aumentando meu framerate um pouquinho). Garrosh se enfurece, grita um "Morra, pivete!" e dá uma porrada no Anduin, que é jogado com as costas no sino violentamente, e o sino se quebra, com os pedaços caindo em cima dele. A impressão clara ali é que o Anduin é morto.

E o Garrosh se volta pra você.
"A Aliança deve estar à beira do abismo pra mandar crianças pra me deter. Vou deixar você viver, pra que diga ao seu Rei qual foi o preço da insolência dele."
E invoca sua mantícora, indo embora a seguir.

Você então checa o corpo do Anduin. Ele fica imóvel e silencioso por um tempo, onde realmente você pensa que ele morreu.
Mas logo depois ele abre os olhos e fala com dificuldade, pedindo pra você pegar um sinalizador na bolsa dele.
Ao usar, a Fenny vem correndo ao resgate, coloca o menino na pipa e voa pro Ancoradouro, pedindo pra você encontrá-la por lá..

Dentro da bastilha, o Almirante Taylor diz que Anduin está estável e que recebeu os melhores cuidados, mas agora só o tempo diria se ele ia escapar. Ele te presenteia com um Grande Grifo, você consegue a conquista "Operação: Muralha de Escudos" e então o Varian entra na sala com a Jaina pra ver o Anduin, enquanto o almirante vira o rosto, incapaz de continuar falando.

- Garrosh atacou meu filho...? Onde ele está?
- Anduin!
- Anduin, o que você tinha na cabeça? Eu devia ter mandado você pra Ventobravo!

Jaina verifica o menino.

- Ele está vivo, mas seus ossos estão quebrados.
- Mande chamar Velen. Traga-o aqui imediatamente!
- Meu rei, eu prometo: o Kirin-Tor vai caçar Garrosh com tanta fúria que os ancestrais dele vão estremecer. Vamos pagar sangue com sangue!
- Jaina...

Jaina se teleporta, enquanto o Varian se ajoelha perto do Anduin.

- Eu vou matar Garrosh por isso. A Horda já está se esfacelando. Vamos dar o golpe final.

Ele então fala com você.

- Você e Anduin frustraram os planos do Chefe Guerreiro e conseguiram uma vitória crucial para a Aliança. Mas por favor, me deixe sozinho. Vou cuidar do meu filho... e me preparar pra nossa próxima batalha.

======================================================

E a história acaba aqui.
Garrosh causou um belo desconforto na Horda arriscando tudo pra conseguir o Sino Divino e o Anduin o destruiu.
Os elfos sangrentos foram expulsos de Dalaran, o Kirin Tor agora está do lado da Aliança e as tentativas do Varian de trazer os elfos pra Aliança foram pro brejo.
Anduin está ferido gravemente (o HP dele ficou 6/356). Ele não morreu, mas pelo que se sugere, todos ainda temem pela vida dele.
A Aliança e a Horda continuam quebrando o pau na praia em Krasarang.

E a treta toda continua no 5.2.

A seguir, vocês comentam =)
Sacerdote Pandaren 90
2345
Turokmakto,

Cara, a história tá muito boa, eu tinha lido um resuminho antes de ler sua versão detalhada.

Espero que o Garrosh seja morto no patch 5.2.

Como ele ousa atacar o único líder honrado da Horda? (único personagem da horda que eu respeito de fato).

Finalmente a Jaina fez o que devia, mandou os BE pro brejo.

Uma pergunta, depois dá pra comprar o grande grifo com armadura de Krasarang?
Druida Elfo Noturno 90
10935

Espero que o Garrosh seja morto no patch 5.2.


Já sabemos que ele não vai.
Antes do MoP ser lançado a Blizzard já anunciou: Garrosh é o chefão final da expansão.
O último patch de Mists of Pandaria já tem nome: "Cerco à Orgrimmar".


Uma pergunta, depois dá pra comprar o grande grifo com armadura de Krasarang?


Dá sim. Vende lá na intendente.
O grifo que você ganha na quest não tem armadura.
Sacerdote Pandaren 90
2345
Turokmakto

Antes do MoP ser lançado a Blizzard já anunciou: Garrosh é o chefão final da expansão.
O último patch de Mists of Pandaria já tem nome: "Cerco à Orgrimmar".


Ótimo! Tava querendo matar essa cara a tempos, não precisava ser necessariamente na 5.2 =P

Dá sim. Vende lá na intendente.
O grifo que você ganha na quest não tem armadura.


Beleza, fiquei maluco quando vi aquele grifo do Varian, quero muito um.
Este tópico está trancado.

Por favor, relate qualquer violação do Código de Conduta, incluindo:

Ameaças de violência. Nós levamos isso a sério e alertaremos as autoridades apropriadas.

Mensagens contendo informações pessoais de jogadores. Incluindo endereço físico ou de e-mail, número de telefone, fotos e/ou vídeos inapropriados.

Assédio ou linguagem preconceituosa. Isso não será tolerado.

Código de Conduta dos Fóruns

Relatar mensagem # escrita por

Motivo
Explique (no máximo 256 caracteres)
Enviar Cancelar

Reportado!

[Fechar]