Universo Expandido

Gallywix:Segredos Mercantis de um Príncipe Mercante

por Gavin Jurgens-Fyhrie


Introdução do autor

Alta Resolução Qual é, chapa? Aqui é o Príncipe Mercador Gallywix. Você tá com esse livro na mão porque quer ser que nem o papai aqui, né? E quem não quer? Não tem goblin mais poderoso e perigoso que eu! E eu posso te dar as manhas pro sucesso.

Mas, antes, uma amigável notificação de contratualidade pra você.

Se você tá lendo isso sem ter comprado o livro, o nome é roubo. Você acha que uma folheadinha não machuca ninguém? Que você tá protegido pelos direitos do consumidor? Pois saiba que isso é uma enorme fanfarronice da sua parte! Foram espertinhos como você que melaram com a minha margem de lucro ano passado e impediram que eu concretizasse meu plano de fazer um puxadinho na minha mansão e encher de mobília comestível. Agora, ao invés dos pufes de chocolate e almofadinhas de mariola que eu mereço, tive que fazer tudo de seda! Você já tentou comer seda? Aliás, você sabe de onde vem a seda? Do traseiro de um verme! Você vai ter que ver isso aí: ou compra o livro, ou meus assassinos vão te caçar como o rato que você é.

O quê? Você duvida? Vem cá, você me conhece? Ninguém vira príncipe mercador se late sem morder. O título não passa de pai pra filho como aquela galhofada de rei dos humanos rosadinhos. Se eu disser que tem 32 espiões meus te observando agora mesmo, vendo você tremer na base, é melhor acreditar.

E nem adianta procurar, você não vai conseguir ver meus capangas. Melhor parar de perder tempo e arriscar a vida. Acho que uns 20 mil de ouro é uma pechincha pela história da minha vida. E se você leu mais isso sem ter comprado o livro ainda, pode ter certeza que vou queimar meu império inteiro só pra acabar com você. Tamos entendidos?

Muito bom. Agora é só pagar.

Pronto? Certeza? Excelente! Obrigado, panaca. Bem, você quer entrar pro ramo dos príncipes mercadores, né? Eu quero um exército de vários aníquilus com a minha cara pintada neles, mas como a negociação com a Legião Ardente não foi lá essas coisas, parece que nenhum de nós vai ter o que quer.

Por que você não pode ser príncipe mercador? É muito simples: porque todas as vagas já tão preenchidas por goblins melhores que você. Ainda falta muito pra você ter condição disso, mas não esquenta. Tu veio atrás do goblin certo.

Você deve ter ouvido muita fofoca sobre mim. “O Gallywix só é príncipe porque explodiu e vendeu tudo e todos que conhece. Quando o Monte Jakaro entrou em erupção, o Gallywix tinha o único barco pra fugir e cobrou de todo mundo um valor meramente simbólico: todas as economias da vida de todo mundo. Ele pegou as celebridades da aristocracia goblinoide, embalou como se fossem salsichas e tentou vender como escravos. O monstro do Gallywix traiu a raça inteira por um quaquilhão de paçoquinhas.”

Horrível, né?

Pois é, é tudo verdade. Por que eu mentiria? Eu nunca escondo as coisas que me deixam orgulhoso. Se o mundo fosse se partir em dois amanhã, eu compraria o Portal Negro, meteria uma catraca e cobraria dos refugiados o último centavo, os anéis e os dedos, a última bolacha do pacote e um contrato assinado em 3 vias, obrigando todo mundo a construir um palácio pra mim no céu de Nagrand. É como os goblins são! Oferta e procura! Se liga!

Mas é isso aí. Você comprou ingresso, e por isso vai saber os três segredos do maior príncipe mercador que essa bola de lama já viu. Rapidinho você vai ficar sabendo quais são. Na verdade, se você folhear o livro, vai descobrir que as trezentas páginas finais são cópias de jornais velhos e receitas de filé de urubu.

Foi mal, chapa. Não aceitamos devolução.

Gallywix