Contos da cruzada-O fardo de um nome(Pt-1)

Arquivos Horádricos
-Epilogo-
Os dois guerreiros se mantinham em pé,um olhando para o outro,ambos ofegantes,um vestido em uma corpulenta e bastante desgastada armadura negra,empunhando um enorme escudo branco em uma mao e uma espada colossal na outra.O outro já bastante ferido,usando uma armadura leve e empunhando duas espadas,uma em cada mao.

Ambos dispararam na direçao um do outro,o impacto criou um estrondo ensurdecedor,e o escudo do guerreiro maior caiu bem longe,o outro rapidamente chutou seu peito,e ele caiu no chao.
O olhos do guerreiro de armadura negra queimavam em uma cor vermelha infernal,o outro pegou a espada do guerreiro maior do chao,e lentamente a pousou no peito dele.

-Voce nao entende!!-esbravejou o grande guerreiro caido no chao-Nos podiamos governar o mundo!!

O outro com a espada no peito do guerreiro de armadura,fecha os olhos,com uma visivel angustia.

-Voce sucumbiu ao mal que mais desprezava mestre-disse ele em melancolia-voce nao e mais digno no nome que carrega Jovinkar,eu sei que o cruzado que segui por anos ainda esta vivo dentro de voce,que Akarat tenha piedade de sua alma.

O aprendiz entao enterra a grande espada no peito de seu mestre.O vermelho que dominava nos olhos do mestre desaparecem-Me desculpe...-Sussurrou o guerreiro de armadura antes de morrer.
------------------------------------------------------------------------
-Conto 1-

A porta da taverna abriu bruscamente,e um grande homem usando uma armadura negra e um escudo branco,empunhando uma enorme espada entrou,seguido de um garoto franzino e baixinho,o homem recostou o escudo e a espada em uma parede qualquer e se sentou em uma mesa.

-Uma taça do seu melhor vinho taverneiro!!-Gritou o homem-E rapido,estou morto de sede!

O garoto baixinho colocou sua mochila no chao e se sentou ao lado do grande homem a quem acompanhava.

-Entao,voce ja esteve aqui antes?-perguntou o moleque franzino-

-Sim,mas isso ja faz muito tempo,quando meu mestre ainda estava vivo...

O garoto entrelaçou os dedos sobre a mesa,e olhou para o homem.

-O Governante corrompido...-sussurou o menino-

-Shhh-resmungou o homem-nao vou falar disso aqui e agora,foram tempos sombrios.

O taverneiro entao chegou com duas taças e uma jarra de vinho-Bem vindos a taverna do novilho esquartej..

O taverneiro engasga brevemente quando se da conta dos simbolos Zakarum na armadura e no escudo do recem chegado,uma pequeno sorriso toma conta dele

-Hehe,eu nao sabia que cruzados bebiam vinho

O homem pega a taça de vinho,e a vira em uma golada-Digamos que eu sou um tipo diferente de cruazado,digamos que minha vida e mais animada que a da maioria.

-Fiquei sabendo que voces assumem o nome de seus mestres quando eles morrem,entao,qual seu nome?-Perguntou o taverneiro calmamente enquanto limpava a mesa com um pano umido.

-Jovinkar-diz o homem rapido e rasteiro.

O taverneiro entao para de limpar,umas 5 ou 6 pessoas,espalhadas nas mesas da taverna começam a olhar de relance para o cruzado.

-Faz muito tempo que nao escuto esse nome-diz o taverneiro com medo visivel em sua face.

-Uns 25 anos pra ser mais exato-diz o cruzado enquanto enche novamente a taça com vinho.-Arranje um quanto para a gente,acho que vamos passar umas noites aqui em Tristram.
-Conto 2-
Ja fazia quase uma semana que Jovinkar e seu aprendiz tinham chegado em Nova Tristram,eles passavam a maior parte do tempo investigando as ruinas da antiga catedral,que ja nao via sinal de via a muitos anos.

-Oque exatamente estamos procurando?-perguntou o aprendiz enquanto vasculhava as empoeiradas prateleiras da catedral-

-Esta ai uma resposta que eu tambem queria saber-disse Jovinkar-Algo me diz que um desses livros pode conter informaçoes imortantes....

Os dois entao se embrenharam mais ainda no interior da catedral

-Que cratera enorme e essa?-perguntou o aprendiz enquanto se debruçava para olhar o fundo da cratera-ela atravessa quase todos os andares da catedral-

-Voce ja deve ter ouvido a historia do anjo que caiu em Santuario-falou Jovinkar enquanto verificava uma grande prateleira recostada em uma quina-foi aqui que ele caiu.-Jovinkar entao empurrou a prateleira com força,e ela afundou na parede,e depois suavemente desceu,revelando um compartimento onde muitos outros livros estavam guardados-

-Haa...eu nao disse garoto-disse Jovinkar em um tom animado-livros sobre Bramatur.

-E oque é Bramatur,pra ser mais exato?-disse o garoto com explicita duviva-

Jovinkar foleou um dos livros e o pois em sua mochila e foi saindo do compartimento rumo a saida da catedral.-Bramatur e um sacerdote de Travincal,que abandonou o templo muito antes da corrupçao que deixou a cidade em ruinas,dizem que ele criou um templo para si mesmo em Sharval-

-E oque tem de mais nisso Jovinkar?

-Quando ele foi embora de Travincal ele disse que foi porque um ser de luz havia ordenado,mas ninguem acreditou nele,e ele foi tachado de herege,entao escreveram estes livros para que a vergonha dele fosse eternizada,mas por algum motivo esses livros foram escondidos.

Os dois entao foram embora da catedral e voltaram para a taverna em Nova Tristram,e Jovinkar passou o resto da noite lendo o livro que havia pegado na catedral.

-Voce nao dorme nunca?-perguntou o aprendiz-

-Esse livro diz que Bramatur estava louco quando abandonou Travincal-Jovinkar apoiou a cabeça com a mao e fechou o livro.

-E ele nao estava?-disse o aprendiz-

-Voce nao entende garoto,os cruzados sabem de historias que os antigos guerreiros de Travincal nao conhecem,e Bramatur com certeza nao estava louco.-Jovinkar se levanta e anda ate seu quarto-Volte a dormir garoto,amanha vamos para Sharval.

Junte-se à conversa

Voltar ao fórum