Ospherat o Mago das Pragas - Capitulo I

Arquivos Horádricos
A LENDA

Na cidade de Hespéria, algum tempo depois da morte de Malthael...
Surgem rumores de que o Navio Black Rock foi visto novamente, um soldado está relatando ao General Torion e a Tyrael o que escutou.
General Tórion - Soldado, que está havendo?
Soldado - General, não sei ao certo, mas todos estão comentando que o Navio Black Rock, naufragado há muito tempo foi visto novamente, segundo relatos essa é a quinta aparição esse mês.
General Tórion – Onde acontecem essas supostas aparições?
Soldado – Em Caldeum, no deserto dos Ventos Lancinantes.
Nesse momento o soldado se afasta e Tyrael com uma expressão de muita preocupação comenta com o General Tórion:
Tyrael – Isso muito me preocupa, achei que esse navio nunca iria reaparecer.
General Tórion – Então é verdade, como isso pode ser possível?
Tyrael - O Black Rock, não sofreu um naufrágio, ele foi afundado pelas forças do mal, e amaldiçoado pelo Mago Ospherat, o portador das pragas, preciso encontrar os Nefalens urgentemente.
Tyrael então chama pelo seguidor Kormac, o Templário, e indaga sobre os Nefalens.
Tyrael – Kormac, onde estão os Nefalens?
Templário – Estão todos indo para Nova Tristam, vão se reunir na taverna do novilho esquartejado, já devem ter chagado, vou me encontrar com eles em poucas horas.
Tyrael – Vá agora e traga-os até a mim, o mais rápido possível.
Kormac – Algum problema Tyrael?
Tyrael – Apenas faça o que lhe peço.
Kormac, obedecendo a Tyrael, abandona seus afazeres e segue imediatamente para Nova Tristam.
Nesse momento na taverna do novilho esquartejado, em Nova Tristam, adentram para se reunir ao grupo de Nefalens os seguidores, Lyndon, o Vigarista e Irina a Sibila.
Vocês demoraram, fala a Arcanista para os recém-chegados.
Paramos para escutar sobre o tal Navio Black Rock, todos só falam sobre isso, já estão reunindo um grupo para fazer vigília nas terras dos Ventos Lancinantes, acreditam que irão achar tesouros escondidos no navio.
Tolos, diz Bron o taberneiro, o povo acredita em tudo que houve, vão perder tempo, aquele navio naufragou com muitos miseráveis, pessoas de pouco poder, fugindo das desgraças que se abateram sobre eles; existem muitas histórias sobre esse navio, mas não passam de lendas.
O Monge interrompe o taberneiro e comenta:
Dizem que o Diário do Navio Black Rock, esconde em suas páginas informações valiosas, de tesouros e magias poderosas, a mais famosa de todas é sobre o artefato perdido do Mago Ospherat, o portador de pragas.
Isso não passa de histórias criadas por vigaristas, para tirar do pobre povo, um pouco de dinheiro, diz Bron, sem querem ofender a você Lyndon.
Já estou acostumado diz Lyndon.
Uma vez vigarista, sempre vigarista, comenta Irina (Todos riem da piada).
Fale-me mais desse artefato, indago o Cruzado ao Monge.
Não sei muito, mas, reza a lenda que Ospherat, o mago do mundo das sombras, portador de pragas horríveis, previu que com a chegada de um novo Nefalem, um Cruzado (nesse caso você meu amigo) os Nefalens poderiam ser capazes de matar Malthael.
Malthael então ordenou a Ospherat que criasse um artefato poderoso com pragas infinitas, para ajudá-lo a combater os Nefalens.
Ospherat criou um artefato do mal tão poderoso que reunia em si, todas as pragas do mal, capaz de trazer muita desgraça ao mundo dos vivos,
Entretanto um aprendiz de Ospherat roubou o artefato.
Ospherat tentou recuperar o artefato, mas não teve êxito, Malthael enfurecido então aprisionou Ospherat em seu próprio palácio, onde ninguém imagina onde fica.
O aprendiz e o artefato, nunca foram vistos.
Sinto-me lisonjeado, O temido Cruzado, (Risos).
Também já ouvi essa história diz o Bárbaro, mas pelo visto só mais uma horrenda lenda, imagina um pobre aprendiz conseguir enganar um poderoso Mago e roubar sua criação, pouco provável.
Nesse momento, chega Kormac, olá junte-se a nós Templário, estamos ouvindo um pouco das lendas que giram ao nosso redor, fala o Caçador.
Bem que gostaria, mas trago ordens expressas de Tyrael, para leva-los até ele imediatamente.
Do que se trata, pergunta o Feiticeiro.
Não sei do que se trata, mas me pareceu muito aflito e preocupado, responde Kormac.
Devemos então partir imediatamente para Hespéria, diz o Caçador.
Taberneiro coloca na minha conta, volto depois para acertar, fala Lyndon.
O taberneiro responde: acertar essa e as demais que me deve Senhor vigarista.
Todos então seguem para Hespéria ao encontro de Tyrael.

Junte-se à conversa

Voltar ao fórum