Ospherat o Mago das Pragas - Capitulo VII - 2

Arquivos Horádricos
A ILHA AMALDIÇOADA - Parte II

Depois de percorrerem praticamente toda a ilhas, matando e decapitando todas as criaturas e monstros que encontravam pela frente, finalmente avistam a montanha logo à frente, e entre eles e a montanha três enormes monstros.

Não tem mais jeito, temos que enfrentar a todos, a montanha está logo à frente, fala o Caçador.
Todos cercam os monstros, e avançam para enfrentá-los, os monstros são muito fortes e com os poderes que a mandala os conferiu, atingem os bravos Nefalens.

Em meio à guerra o Caçador e Cruzado são arremessados a poucos metros de distância após serem violentamente atingidos por uma onda de explosão elétrica, Irina perto dali, corre desesperadamente para socorrer os Nefalens, chegando primeiro ao Caçador, sem se preocupar em também ser atingida, totalmente desprotegida.

Mas eles estão bem, unem-se novamente e avançam para aniquilar de vez com os monstros que estavam cercando o resto do grupo.

Já com os monstros em pedaços, começam a vasculhar o local a procura do artefato, quase uma hora se passa quando finalmente o Feiticeiro finalmente encontra, está aqui, vejam.
Em uma pequena clareira, uma estaca indica o local que está o artefato, exatamente como descrito no diário.

O Feiticeiro escava e sem muito esforço encontra a caixa, ao abri-la, contemplam em seu interior o tão temido artefato que aos olhos de qualquer pessoa passaria despercebido como um anel inofensivo, sem oferecer nenhum perigo.

Guarde isso em local bem seguro, diz o Caçador ao Feiticeiro, não o coloque em seu dedo e não o perca.

Vou colocá-lo na minha bolsa, diz o Feiticeiro.

Então todos seguem rumo à praia, para tentar encontrar uma maneira de sair daquele lugar maldito.

No caminho para a praia, deparam-se ainda com alguns monstros, mas os matam com certa facilidade.

Ao chegar a uma lagoa, logo abaixo de uma cachoeira o grupo para, descansam e lavam-se, antes de continuar.

Como sairemos dessa ilha, pergunta Irina ao Caçador.

O barqueiro comentou que muitos vieram para essa ilha atrás de ouro e riquezas, mas que nunca voltaram. Vamos procurar pela praia, por alguma embarcação que ainda esteja em condições de nos tirar daqui. Responde o Caçador.

Caçador então convoca o grupo e todos continuam seu caminho rumo à praia, a procura de algo que os leve de volta.

Algum tempo depois já na praia, encontram algumas embarcações, mas nenhuma em condições de navegar.

Vamos procurar perto de onde o barqueiro nos deixou, fala o Caçador.

Ao chegarem ao local do desembarque, Irina vê ao longe o barco que os trouxeram, vejam diz ela, não é o barco que nos trouxe?

Sim, parece ser, vamos até lá, fala o Bárbaro.

Chegando na embarcação, encontram com o barqueiro.

Que bom que voltaram, achei que morreria aqui, exclama o barqueiro, o nevoeiro ficou muito forte, não consegui enxergar nada e acabei encalhando, quando a maré subiu, tive que voltar para arrumar o barco, me ajudem, vamos sair logo dessa ilha.

Então com a ajuda dos Nefalens, logo o barco fica em condições de navegar novamente, assim partem de volta para o porto em Santuário.

Junte-se à conversa

Voltar ao fórum