A escalada do herói.

Geral
Eu estava discutindo sobre star wars com meu chefe hoje no trabalho (sim, trabalho muito mas quando vc está numa sala com uns 8 nerds, sempre rola discussão sobre nerdices em algum momento) e ele comentou que a Rey foi apresentada como o heroi padrão mais conhecido ao estilo - não conhece os pais, cresceu sofridamente, luta pra sobreviver, tem um grande poder oculto desconhecido, é generoso ao extremo, bondoso, tem N virtudes, tem uma escalada ao poder progressivamente lenta, não sabe que é diferente até ficar de frente com o perigo....ou seja, o caminho do heroi é algo trilhado por : sofrimento, conhecimento, treinamento.

Vcs sentiram isso em warcraft ?

Os antigos dizem que no inicio do WoW o nosso "heroi" era sofridamente upado. Upar antigamente era visto como algo dedicatório, sofrido, era o "caminho" q seu heroi tomava pra ser alguém.

Nosso heroi no wow não conhece a origem dos pais (eu nao lembro do meu personagem no inicio saber isso) , começamos no meio de uma bagunça completa em todas as facções da horda pelo menos. Se vc é troll vc ta no meio de uma pelenga, se vc é orc vc vai pra uma pelenga, se vc é tauren vc ta numa pelenga, vai pra uma pelenga e fica numa pelenga, se vc é b.elf querem fazer uma pelenga com vc, se vc é undead, vc é a pelenga....se vc é goblin, vc vende a pelenga.

A gente evolui, progride e...enfim, vcs sentem que fizeram seu "caminho do heroi" - sentem esse peso de ser heroi ou vc se acha mais um ? a historia do seu personagem, seus momentos marcantes e/ou suas historias condizem com o nome "heroi" ou vc é mais um da fileira que não sabe o que raios ta fazendo ali ?

Alias, o que é pelenga ?
Eu me sinto um herói. E não gosto disso. Eu sei que, pelo nosso histórico in game, não poderíamos continuar sendo meros aventureiros para sempre.
Mas, por outro lado, eu nunca quis ser um herói comandante salvando o mundo incontáveis vezes.

Primeiro, porque isso é muito mal contado. Uma hora somos heróis que derrubaram Gul'dan, outra hora somos meros aventureiros matando murlocs e catando nozes.
Uma hora salvamos o mundo, mas logo em seguida nem na cinemática final aparecemos. Somos enviados para as missões mais perigosas, matamos o chefão e depois voltamos para receber mais ordens do Khadgar e cia.
Esse ambiguidade me dá muita agonia, apesar de eu não saber o que exatamente poderia ser feito a respeito disso.

E segundo porque eu sou mais eu mesmo. Na verdade, vou contar um segredo bem secreto.
Eu queria que o Flagelo tivesse conquistado Azeroth. Seria muito mais legal comandar os exércitos do Lich King e ser um DK bem foderoso ou um Blood Mage morando na Cidadela de Gelo. Esse negócio de ficar salvando o mundo e fazendo mini favores já deu pra mim.

Se não for pra eu virar o Rei de Gnomeregan ou o líder do Kirin Tor de uma vez por todas, prefiro me mudar pra alguma montanha em Pandária e viver sendo um ermitão com minhas comidas de mana, fazendo fogueiras de magia arcana e dormindo com a Jinxie (ou com a Sunlace ou com a Boitatá, ou com as 3!) na escuridão das cavernas.

Estou prestes a dar esse ultimato ao Khadgar.
"Ou você me passa o Kirin Tor, ou eu vou embora daqui!"
10/07/2017 22:26Citação de Wolfgang
Eu me sinto um herói. E não gosto disso.

Eu ia linkar todo o comentário mas só esse trecho já resume o que eu acho.

O meu maior problema com isso é que mesmo sendo praticamente "líder" da minha classe, eu não tenho escolha nenhuma
Eu ainda preciso ajudar a Sylvanas a tocar o terror em Stormheim. Eu não posso decidir nenhuma estratégia contra a legião. Eu não posso bater de frente com as decisões do Illidan e questionar elas. E isso seria possível fazendo, por exemplo, duas questlines diferentes por mapa.

Pegando o exemplo de Stormheim, poderiam haver duas opções em relação as quests do mapa:

Opção 1: Eu ajudo a Sylvanas a dar um banho de plague na ally
Opção 2: Decido não ajudar aquela horrorosa, deixo ela quebrando o pau e decido salvar/purificar os animais da plague que respingou por aí

Outro ponto: tem personagem mais legal que eu no lore, e eu fico a sombra deles. Eu acho que cada class hall deveria ter um líder e eu seria o "braço direito" dele. Aí daria a impressão de que esses personagens tão fazendo algo no lore. É triste ver, por exemplo, Chen, Rexxar e Calia Menethil não fazerem nada.
Eu sinto... mas pq eu realmente trilhei esse caminho velho de leveling.

Com meus alts hoje... eu não sinto nada.
....dormindo com a Jinxie (ou com a Sunlace ou com a Boitatá, ou com as 3!) ....

mas gente, essa fanta é anã ! :V

Mas brincadeiras a parte, concordo com quase tudo...eu não dormiria com o..a..o..a..boitatá não.
@Óberon
Ótimos pontos! Eu penso exatamente o mesmo que você.
10/07/2017 23:59Citação de Milmortes
mas gente, essa fanta é anã ! :V

Não diga isso!
Me faz lembrar de quando me chamaram de Pitchulinha.

Mas pelo visto você não sabe de nada, inocente. ( ͡° ͜ʖ ͡°)
10/07/2017 23:59Citação de Milmortes
Mas brincadeiras a parte, concordo com quase tudo...eu não dormiria com o..a..o..a..boitatá não.

Não sabe a vaca que está perdendo!
Esse negócio de nós sermos sempre os mais pica me dá uma agonia, por exemplo, eu vou ler uma história no wowpedia e tá lá: Líder da Harmonia Telúrica : O aventureiro...
Mas pera.. Eu sou um sacerdote, por que eu sou o líder a harmonia telúrica?! E mesmo sendo um xamã, eu to literalmente no posto do xamã mais poderoso de azeroth!

Parece que fica alguns buracos na lore muito bizarros, a gente não tem mais aquela figura caricata da expansão, o cara que vai liderar a gente para vitória como a gente tinha em MOP por exemplo. Parece que a gente tá liderando a lore enquanto os caras que antigamente para nós eram ícones, agora estão lá: jogados no limbo da blizzard.
Isso se fosse um RPGzão massa, seria incrível! Mas a gente tá em um MMORPG. Virar o protagonista do jogo é tipo, ter 4 milhões de protagonistas ao mesmo tempo.
Muitos roteiristas usam de uma teoria psicanalista/junguiana para construção de suas histórias.
São os arquétipos de personalidade.

São vários "modelos" que Jung percebia que existia em todas as culturas humanas. Como se fosse padrões, jeitos. Em toda histórias, mitos, e etc, tinha sempre alguém para fazer o papel X e Y.
Um deles é o arquétipo do Herói, que é basicamente sua descrição, mas com o acréscimo do sacrifício. O herói sempre precisa abrir mão de algo, seja na vida, seja na jornada, para se consagrar herói.

Muito atrelado ao Herói, sempre temos o arquétipo do Sábio/Ancião ou do Governante. Ambos auxiliam o herói na sua jornada.
Um exemplo bem clichê disso é o Anduin com o Velen, a Jaina ou o Genn.

O Herói, em qualquer narrativa da cultura, nunca está só. Esse é o ponto. Não se faz um herói sozinho, do nada, ou sem ajuda de ninguém.

E por aí vai...

Assim, Freud rompeu com Jung por diversos problemas, inclusive teóricos, mas é legal saber que para a construção de muitas narrativas, seja em video games, livros, séries, se usam um mínimo de conhecimento sobre personalidades.
Não se faz uma boa história assim "do nada".
Seria legal se pudêssemos escolher o caminho a trilhar, como um rpg real, eu com certeza teria uns personagens malignos, esse negocio de ser heroi e bonzinho tá com nada.
E vários mmorpg deixam essa possibilidade aberta
11/07/2017 09:53Citação de Metron
Seria legal se pudêssemos escolher o caminho a trilhar, como um rpg real, eu com certeza teria uns personagens malignos, esse negocio de ser heroi e bonzinho tá com nada.
E vários mmorpg deixam essa possibilidade aberta


Ta ai uma boa ideia de "world" leveling
11/07/2017 09:17Citação de Cau
Assim, Freud rompeu com Jung por diversos problemas, inclusive teóricos, mas é legal saber que para a construção de muitas narrativas, seja em video games, livros, séries, se usam um mínimo de conhecimento sobre personalidades.
Não se faz uma boa história assim "do nada".


mas isso so presta em singleplayers, wow é um MMO

os herois deveriam ser os npcs e persongens, como sempre foram, e nós, os ajudantes aventureiros, infelizmente blizz inverteu as bolas
Desde o lvl 60 somos Herois. Alguns só ignoram o fato.
Mas depois da gente participar da morte de Old Gods, Senhores Elementais e muito mais ir para forças maiores, inimigos maiores faz parte do progresso natural. Olhem as Raides e masmorras derrotadas até o Cataclismo, olhem os chefes "de peso" que ajudamos a derrotar.

Não enxergo a falta de lógica no caminho que nossos personagens tomaram, a menos que vc ignore tudo que eles fizerem antes do MOP.
11/07/2017 10:33Citação de Imöbz
11/07/2017 09:17Citação de Cau
Assim, Freud rompeu com Jung por diversos problemas, inclusive teóricos, mas é legal saber que para a construção de muitas narrativas, seja em video games, livros, séries, se usam um mínimo de conhecimento sobre personalidades.
Não se faz uma boa história assim "do nada".


mas isso so presta em singleplayers, wow é um MMO

os herois deveriam ser os npcs e persongens, como sempre foram, e nós, os ajudantes aventureiros, infelizmente blizz inverteu as bolas


Não necessariamente uai.
Nós somos os "heróis' que salvamos o trem todo, mas existe toda uma história, lendas, culturas e jeitos para além de nós.

Eu entendi que num MMO isso se bagunça tudo, mas não esqueça outros personagens na trama.
11/07/2017 10:51Citação de Chequer
Desde o lvl 60 somos Herois. Alguns só ignoram o fato.
Mas depois da gente participar da morte de Old Gods, Senhores Elementais e muito mais ir para forças maiores, inimigos maiores faz parte do progresso natural. Olhem as Raides e masmorras derrotadas até o Cataclismo, olhem os chefes "de peso" que ajudamos a derrotar.

Não enxergo a falta de lógica no caminho que nossos personagens tomaram, a menos que vc ignore tudo que eles fizerem antes do MOP.


Pergunte a um lvl 61 se ele se sente heroi de qualquer coisa...

Sua teoria teria sentido se ainda estivessemos no LK. Com o Cata o lvl base de "heroi" seria o lvl 85, porém refaça o teste e pergunte a um lvl 86 se ele se sente heroi de qualquer coisa...
10/07/2017 22:26Citação de Wolfgang
Se não for pra eu virar o Rei de Gnomeregan ou o líder do Kirin Tor de uma vez por todas, prefiro me mudar pra alguma montanha em Pandária e viver sendo um ermitão com minhas comidas de mana, fazendo fogueiras de magia arcana e dormindo com a Jinxie (ou com a Sunlace ou com a Boitatá, ou com as 3!) na escuridão das cavernas.

Concordo com tudo que o Wolfie disse principalmente essa parte! ( ͡° ͜ʖ ͡°)

Eles querem que nossos chars sejam super importantes, mas não é o que acontece, me lembro disso no WOD tinha acabado de virar líder da guarnição e comandante das forças da horda no lugar e um troll manda eu coletar cogumelos, serio isso?

Eu gosto de reconhecimento pra os feitos do meu "herói" mas não como eles estão fazendo, ao termino de uma xpac somos os deuses salvadores do universo, para a próxima xpac logo no lv 111 vou estar coletando flores para um jardineiro triste!

No final do WOD nos somos generais, pouco tempo depois estamos salvando esquilos em uma floresta, que general faz isso?
11/07/2017 11:01Citação de Ferrö
Sua teoria teria sentido se ainda estivessemos no LK. Com o Cata o lvl base de "heroi" seria o lvl 85, porém refaça o teste e pergunte a um lvl 86 se ele se sente heroi de qualquer coisa...


Se você não se sente um heroi no lvl 85 salvando o mundo do Cataclismo junto com os aspectos e o Thrall ou até mesmo junto com o Malfurion e Cenarius dando um final ao Ragaros (novamente) então eu não tenho o que debater, é no caso algo pessoal seu.

Eu e meus amigos nos sentimos na nossa primeira kill do DW na época.
Desde então sinto uma evolução natural de Endgame através de Endgame.

O Leveling é ignorável por questão de gameplay, é preciso analisar o Endgame somente.
11/07/2017 10:51Citação de Chequer
Mas depois da gente participar da morte de Old Gods, Senhores Elementais e muito mais ir para forças maiores, inimigos maiores faz parte do progresso natural. Olhem as Raides e masmorras derrotadas até o Cataclismo, olhem os chefes "de peso" que ajudamos a derrotar.

Não enxergo a falta de lógica no caminho que nossos personagens tomaram, a menos que vc ignore tudo que eles fizerem antes do MOP.


>implicando que você é o mesmo personagem em todos os acontecimentos

Isso continua sendo um MMO, nõ um single player, onde você e seu persongem é o centro das atenções

Wow sempre tomou o conceito de "aventureiros" ou "herois" porque nunca especificaram quem era que fez tal coisa, se o grupo era o mesmo, quem estava nele etc, isso que abre portas pra se ter os elementos de RPG no jogo

vocÊ quer ser o heroi? o fodão? o que matou todo mundo sozinho?( mesmo não sendo o que aconteceu em lore?) Seja, quer ser um zé ninguem? um anti-heroi? que so ajuda quando quer? seja também, a lore antes dava escolha, porque era em aberto, agora ela força totalmente você a ser algo, o velho clichê de escolhido de singleplayer, onde você não tem escolhas

LK? foi o tirion, DW? foi os aspectos e o thrall, onyxia? varyan, e assim por diante
11/07/2017 11:49Citação de Chequer
O Leveling é ignorável por questão de gameplay, é preciso analisar o Endgame somente.

Não dá para ignorar o Leveling, tipo vc acabou de salvar o mundo de ser complementa aniquilado, para na 1° quest da nova xpac o npc diz "vem cá pião, mata 10 porco pra eu agora, e xiu pq to mandando"

E como o Imöbz disse quando foi que vc matou algo?
"LK? foi o tirion, DW? foi os aspectos e o thrall, onyxia? varyan, e assim por diante"
Sempre são os npcs que que terminam o serviço e levam a gloria. Você só é o peão que fez quase todo trabalho sujo. mas vc não deitou ninguem!
É complicado. Vai de raça pra raça.
Mas a primeira quest dos taurens (pós cata) já te deixa com uma aura de herói. Aqueles javatuscos nojentos invadindo uma área destinada ao aprendizado de jovens shu'halo, matando idosas e novilhos e você que acabou de sair das fraldas vai ter que ajudar a resolver.

Pra mim foi uma construção ótima da história deste Sunwalker. Quando cheguei a Orgrimmar tudo era imenso e era o Garrosh sentado no trono. Dizendo que agora eu era parte da máquina de Guerra da Horda e que se eu não a servisse, seria esmagada. Olha isso.

Até o final do Pandaria, eu me sentia uma heroína anônima, com imenso potencial, mas que vivia as sombras de figuras maiores. Ainda assim era estranho que o Thrall não me reconhecesse depois de todas as vezes que eu o ajudei. Enfim...

WoD nós viramos Coisa Grande. E é ai que a porca torceu o rabo. Ser o Marechal da Força Expedicionária nos deu ares de NPC. E quando voltamos a Azeroth essa aura evaporou dentro da facção. Éramos subitamente só mais um.

Mas daí vieram as classhalls e novamente viramos o NPC fodão a quem os verdadeiros NPCs gigantes agora serviriam. Caramba, no lv 10 eu tava recebendo quest da Aponi, agora ela está obedecendo minhas ordens? E a Liadrin, que manda eu fazer quests em Suramar, mas quando volta pro porão vira minha empregadinha novamente?

Esse detalhe é onde mora a instatisfação. Tudo bem que nós fossemos os grandes da classe, mas os Líderes delas? Entre os DKs você dá ordens para o Nazgrin. Sendo Horda, você já foi subordinado dele. Hunters desfilam com o Rexxar, o Campeão da Horda. Sacerdotes tem a Moira com seguidora, ela é líder de raça, qual é!

Essa megalomania não combina com a proposta do WoW. Combina com o SWtor, que tem um sistema de storytelling pra suportar essa ideia de que você é o grande herói da Galáxia. Mas no WoW nós sempre somos os pau mandados de alguém. Agora não é diferente. Somos heróis famosos ofuscados pelo brilho vil do Ilidan.

prefiro me mudar pra alguma montanha em Pandária e viver sendo um ermitão com minhas comidas de mana, fazendo fogueiras de magia arcana e dormindo com a Jinxie (ou com a Sunlace ou com a Boitatá, ou com as 3!) na escuridão das cavernas.


Comigo presente, nunca haverá escuridão, gnominho.

10/07/2017 23:59Citação de Milmortes
mas gente, essa fanta é anã ! :V

Mas brincadeiras a parte, concordo com quase tudo...eu não dormiria com o..a..o..a..boitatá não.


Eu é que não dormiria com você, DK imunda!
10/07/2017 22:50Citação de Óberon
Eu ainda preciso ajudar a Sylvanas a tocar o terror em Stormheim.


10/07/2017 22:50Citação de Óberon
Opção 1: Eu ajudo a Sylvanas a dar um banho de plague na ally
Opção 2: Decido não ajudar aquela horrorosa, deixo ela quebrando o pau e decido salvar/purificar os animais da plague que respingou por aí


Para mim, toda essa briguinha de frescos entre hordinhas e aliados poderia ser opcional na questline de Stormheim. Alias, minha vontade era dizer pra Syl:
" - Se vira ai perua. Que eu tenho coisa mais importante pra fazer."

Junte-se à conversa

Voltar ao fórum