Conto RP - O Resgate de Karhol

Taverna do Fim do Mundo
(Ferronegrão aqui)

Fala Povo

É o seguinte, tem um evento RP que eu venho querendo muito fazer na aliança, e eu venho amadurecendo bastante a ideia, e agora eu considero que eu já acertei detalhes suficientes pra poder promover o evento.

Eu vou fazer o evento em duas partes:

- Uma vai ser aqui mesmo neste tópico, onde o pessoal de ambas as facções pode participar.

- A outra parte vai ser in game, numa área secreta do jogo próxima a Gnomeregan, com data ainda por marcar. Nessa etapa, por enquanto, a ideia é que seja apenas na aliança, pois eu não sei como driblar a barreira de línguas que impede que ambas as facções se falem in game, além do problema dos guardas de gnomeregan, com quem eu não posso combinar de não atacar os meus amigos da horda. Em compensação, as condições do local do evento permitem que qualquer char nivel 1 consiga participar.

Mas enfim... Eu vou escrever aqui o conto pra gente poder iniciar o RP aqui no fórum. Fiquem à vontade pra participar:

O Resgate de Karhol

"Um drainei de aparência simples e discreta estava na Clareira da Lua, sede do Círculo Cenariano. Ele pregava cartazes, com a autorização do próprio círculo cenariano, em todas as casas da clareira da lua. Estava na estalagem que fica no refúgio noturno, próximo à ponte que dá acesso aos mestres de voo de ambas as facções, pregando o útimo cartaz.

Mas, de repente, o último prego que fincaria o cartaz escapou-lhe às mãos, caiu no chão e ainda rolou uma pequena distância. Ele foi lá buscar o prego, o que fez com que saísse da frente do cartaz, permitindo que quem passasse pelo local pudesse ler.

No cartaz dizia:

Chamado ao Resgate

A quem estiver lendo este cartaz, Ventobravo solicita auxílio voluntário de combatentes, veteranos ou novatos, para uma missão de resgate e investigação.

Um anão caçador, que atende pelo nome de Karhol, desapareceu misteriosamente há vários dias nas proximidades de Gnomeregan. Não se tem notícias de seu paradeiro, exceto por algumas testemunhas que falam sobre atividades paranormais nas montanhas do entorno.

Estamos organizando uma expedição para ir atrás destas pistas. Não podemos pagar pessoas para fazer parte da missão, mas a quem desejar se voluntariar, vocês terão a gratidão de Ventobravo, e desse grande caçador caso ainda esteja vivo.

A expedição ainda não tem data marcada, e está em fase final de planejamento estratégico. Por conta da radiação ainda existente na atmosfera acima da região, a poucos metros acima do solo, não podemos simplesmente enviar alguém pelo ar para o local, por isso terá que ser por terra.

Qualquer dúvida, entrar contato com Rukadare, Detetive Responsável pela expedição, que estará nos próximos dias na Clareira da Lua cuidando do recrutamento de voluntários e prestando esclarecimentos.

PS: Não cogitamos, por enquanto, a participação de membros da horda nesta missão, mas o detetive responsável Rukadare está autorizado a prestar informações, a seu critério, de alguns detalhes da situação.


Enquanto andava para buscar o último prego, o drainei parou por um instante... Ele ouviu alguém se aproximar..."


Espero que tenham gostado do começo do conto, e fiquem à vontade para ser o alguém que se aproxima que eu mencionei acima e dar continuidade à história.

Quem tiver interesse em paritcipar do evento in game, me add na Battletag: FerroNegro#1431, que assim que possível a gente vai fazer esse RP.

EDIT:

Galera, vou marcar o evento pra essa sexta, dia 22/02, às 19 horas

Eu pretendia dar mais um tempo pra acertar direitinho o evento, mas meu camarada dono do char "Karhol" vai viajar esse fim de semana pra estudar longe, e sabe-se lá quando ele volta. Ou seja, eu não terei oportunidade de fazer RP novamente com ele tão cedo.
Interessadíssimo!

Como tu sabe, eu e o Hikz fomos ontem lá no Moonguard fazer um RP. Foi minha primeira vez, e gostei bastante! Quem sabe eu não crio um gnomo para ajudar os aventureiros com a radiação?!
Eu tenho um char RP no Gally mas tá lvl alto, so pode ser cahr lvlv 1?
http://us.battle.net/wow/pt/character/gallywix/Tharantor/simple
Interessadíssimo!

Como tu sabe, eu e o Hikz fomos ontem lá no Moonguard fazer um RP. Foi minha primeira vez, e gostei bastante! Quem sabe eu não crio um gnomo para ajudar os aventureiros com a radiação?!


opa, cria sim, voce vai gostar

16/02/2013 13:54Citação de Hikz
Eu tenho um char RP no Gally mas tá lvl alto, so pode ser cahr lvlv 1?


pode ser char d qualquer nivel e qualquer equip, sem problemas

a forma como o evento vai ser feito permite que qualquer char da aliança consiga participar

só não sei ainda se será possível a horda participar também, entre os muitos problemas tem os guardas de gnomeregan, que são nivel 95 elite, e estão por toda a parte, e isso é um problema

aliás, fiquem à vontade para participar da parte do RP que vai rolar no próprio tópico, que consiste do próprio Detetive Rukadare prestanto maiores informações aos personagens de ambas as facções sobre o que tá pegando

à propósito, o Karhol é um char de um camarada meu que vai me ajudar a mestrar o RP in game
to dentro :D
16/02/2013 15:27Citação de Ðarkterror
to dentro :D


opa, já participa da interpretação aqui no tópico também
*Heraclius chegara na Clareira da Lua , neste mesmo dia vindo a partir de um Hippogrifo dos elfos noturnos , aparentemente interessado em práticas e técnicas herboristas por lá conhecido entre os membros do Círculo Cenariano[maldita erva do mal HEASUEHSAUESAHEUAH] , após desmontar do hipogriffo e amarra-lo bem como pagar o serviço prestado pelo domador de montarias voadoras de serviço de transporte o mesmo caminhara até mais ou menos metade da ponte e esticara seus braços observando lhe o redor , bocejando lhe um pouco quando repara no anúncio de imediato logo indaga *

- pra que diabos anunciam isso aqui em Kalimdor?Ainda mais por aqui....bah preciso de uma cerveja.

*Heraclius se senta em um banco proximo ali da ponte e do anuncio e la pega uma reserva sua de hidromel pequena ao qual de vez em quando carregava para beber , não tinha o costume de enxer a cara compulsivamente ao ponto da própria aniquilação de cerveja igual seu parceiro de guilda Doomforge , um anão , que destruia tavernas e jorrava verdadeiros oceanos de vomitos , mas ainda bebia umas , enquanto ponderava um pouco pelo que lia do anuncio e logo também observava o Draenei que lá estava colocando o mesmo *

- bom deixar pra cuidar disso sobre estudar as ervas cenarianas depois....Ei o draenei , sabe onde posso encontrar o detetive?

*indagava em uma pergunta Heraclius para o draenei logo a frente do anuncio enquanto dava lhe mais um gole no hidromel e refletia sobre o assunto*
"O Drainei, que estava andando até o prego caído no chão para pegálo, ouve alguém se aproximar e para no caminho.

Apesar de seu elmo escondendo o rosto, o Detetive claramente prcebe pelas armaduras pesadas e pela aura que se trata de um paladino. E pela estatura e forma como bebe, só poderia ser um humano.

O drainei encara o paladino bêbado com um largo e simpático sorriso, estende a mão para cumprimentá-lo, e responde a indagação:

- Prazer, eu me chamo Rukadare... Detetive Rukadare, ao seu dispor. Vejo que leu o anúncio, e isso muito me agrada. Caso deseje se juntar a nós, lhe seremos muito gratos. Tens alguma dúvida a respeito da missão? Meu propósito aqui na Clareira da Lua é prestar quaisquer esclarecimentos.

O Detetive olha o paladino, esperando por uma resposta. Ele também ouve o som de mais gente chegando"
Um humano ruivo, de aspecto bruto e usando um tapa-olho, portando duas lâminas na cintura e um trabuco nas costas, cospe em frente ao humano e dirige a palavra para o Draenei:

- O único "nós" de que você precisa é composto por mim e meus companheiros animais. Nossas habilidades investigativas chegaram à atenção do próprio Lorde Greymane." - e voltando-se para o humano, continua de maneira informal: - "Nada pessoal, parceiro, mas eu costumo trabalhar melhor sozinho, sabe? Pode ficar tranquilo que eu não vou ignorar esse chamado de resgate, e você pode continuar a relaxar com suas bebidas e a polir sua bela armadura.

Um Corvo Guilneano mantém-se no ar próximo ao humano, e parece interessado em algum possível petisco escondido em sua mochila de viagem. Atrás dele, um Sabre de montaria bem cuidado encara a cena vigilante, enquanto um cão de caça coça sua orelha com a pata traseira fazendo um som divertido.

De súbito, a atitude do humano ruivo se altera para algo quase próximo da educação castelar, quando ele se ajoelha perante o Draenei e prossegue em voz solene:

- Eu sou Gorwal o Caçador, sob o tabardo de Darnassus, e pela glória de Guilnéas. Permita-me a honra de levar adiante essa empreitada, senhor Draenei. Não apenas pela honra de meu povo, mas como um emissário da hospitalidade dos Elfos Noturnos, conceda-me esse ato de boa fé para com os anões e para a graça de sua imponente raça.

A cena prossegue com Gorwal afastado, apenas atento as respostas que o Draenei conceder sobre o assunto, enquanto tenta manter a si e a seus animais fora da atenção dos demais.
Elrinfasir se acomodou em um banco para que pudesse tomar nota do panfleto em suas mãos, o qual encontrara pregado na parede de uma casa assim que chegara à Clareira da Lua. Coçou sua cicatriz no canto do olho direito, pensativo, e então olhou para Vashet.

– O que acha, companheira? – perguntou, com um sorriso. A loque'nahak o olhou, curiosa, e ronronou em resposta. O elfo voltou a sorrir. – Foi o que pensei.

Levantou-se, ainda com o panfleto em mãos, e olhou ao redor na esperança de ainda encontrar Rukadare, o dito responsável pela missão, ainda nas redondezas. Vislumbrou, não muito longe dali, três sujeitos entretidos em uma conversa. Um deles, um draenei, carregava consigo um amontoado de panfletos idênticos ao que ele tinha em mãos.
"Será ele?", pensou. Dirigiu-se para lá.

– Huh, com licença – disse, assim que se aproximou. Voltou-se para o draenei. – Peço desculpas pela interrupção, mas você por um acaso seria Rukadare, ao qual o panfleto se refere? – questinou, o olhar se alternando entre o panfleto em suas mãos e o sujeito à sua frente. – Tenho interesse em me juntar à expedição, se lhe aprazer.

Nesse tempo, Vashet observava os outros ao redor. Seu olhar se cruzou com o de um sabre descansando ao lado de um homem ruivo, alguns metros dali. Encarou o outro felino por um longo momento, atenta, e então voltou para junto de seu dono.
Postando pelo meu Night Elf de RP
http://us.battle.net/wow/pt/character/gallywix/Tharantor/simple

Tharantor chegou a clareira da lua para tratar de assuntos com um dos membros do Circulo Cenariano, trajava vestes comuns e não carregava consigo nenhuma arma aparente. Seu felino pardo caminhava lentamente pela estrada que levaria ao centro da vila, e o elfo apenas seguia sobre ele com o olhar baixo. O movimento de balanço do felino caminhava, fez algumas mechas de seu longo cabelo de cor azulada cair sobre os ombros e o rosto, cobrindo-o aleatoriamente conforme seu corpo se movia suave e repetitivamente para frente e para trás.
Não falava nem olhava para ninguem enquanto seguia seu caminho, o tigre parecia já um pouco cansado da longa viagem e Tharantor foi direto até uma estalagem que possuía água e coxo para os animais de transporte.

O elfo parou por uns instantes observando a construção a sua volta enquanto amarrava seu animal, parecia indiferente as pessoas ali. O grande tigre pardo abaixou sua cabeça para beber agua, aténto como qualquer felino, a medida que Tharantor seguia para o interior da estalagem.

Sem chamar muita atenção ou mesmo olhar o cartas visível com o pedido de ajuda, o elfo foi direto ao taverneiro - Agua e pão fresco falou no seu tom serio de sempre. Virou-se para a bancada e sentou em uma das cadeiras percorrendo com seu olhar as pessoas que ali se encontravam. Olhou na direção do paladino que fazia parte da guilda para a qual se aliou recentemente, e também para o caçador que a tempos atras ajudou a encontrar um amigo perdido em Loch Modan. Não fez qualquer menção de cumprimento, apenas se voltou para o balcão, onde o taverneiro já tinha depositado sua bebida e comida , e passou a come-los devagar.
Enquanto isso do outro lado do mundo e em cima de uma arvore...

O tempo estava castigando as montanhas com neve, chuva e alguns dias até mesmo granizo, mas sair do esconderijo perto das pedras não era uma opção. A frondosa arvore tinha um galho maior e mais robusto e foi onde ele escondeu depois da noite anterior quando um urso quase o alcançou no buraco.

-Karhol!!!-gritaram para ele na primeira noite em que foi montado o acampamento , em meio a caos de uma luta.

-O que ta acontecendo bando de mulas!- respondi em meio à luta com o sono ébrio da cervejada.

-Sei lá os bicho tão tudo loco, Karhol tem um urso enorme em uma peleja com o chefe, e rugidos vêm da floresta como você não ouviu isso animal.

-O que importa vamo ajuda o chefe... – nesse momento mais ursos espumando de raiva pulam dos arbustos e da floresta próxima, o acampamento vira um caos total. E os bravos e corajosos montanhistas de Alta Forja, agora estão cercados por um bando de animais raivosos espumando pela boca.

-Corre cambada! –gritou um dos montanhistas, e foi o que eu fiz sem pensa duas vezes corri e me escondi no meio das pedras próximas ao acampamento.

De longe eu vi meus companheiros subindo nas arvores, se escondendo nos buracos como eu fiz e apenas 1 ou 2 conseguiram fugir e correr para a passagem na montanha antes das feras atacarem. O pensamento naquela noite era o mesmo para todos.
Uma morte terrível e sangrenta nos aguardava no próximo dia quando algum urso encontrar um meio de subir na arvore ou de passar pelo buraco até meu esconderijo.

Mesmo assim aqui estou eu tomando cerveja quase congelada do meu cantil, afinal carregar água é coisa de maricas, e isso já é o amanhecer do segundo dia sem comida dentro de um buraco ou em cima da arvore como eu estou agora não faz diferença a neve castiga da mesma forma.

-E ai karhol pronto para virar lanche de urso?

-Vai se foder gordo molenga se meu rifle estive se aqui eu mandaria essas bestas para o inferno com uma bela bala entre os olhos como lembrança.

Enquanto isso o anão cutucava o urso com um galho para não deixar a fera subir na arvore, a coisa tava preta dessa vez. O acampamento foi tomado pelos ursos e agora os malditos tentavam nos pegar em cima das arvores e outra quem viria atrás de nos nesse canto isolado de Khaz Modan. Se os ursos não nos matarem ainda tem o frio e a fome. A unica esperança era um resgate, isso é se alguem consegui se avisar que estavamos isolados nesse fim de mundo ou se fizemos falta a alguem(uma coisa que não aconteceria no meu caso). A perspectiva era desesperadora.
(Hiya!

Personagens de outros servidores podem participar? Gostaria de irrrrrr!)
(Hiya!

Personagens de outros servidores podem participar? Gostaria de irrrrrr!)


é claro que pode, o cross realm funciona maravilhosamente bem, sem lag nem bug, nas proximidades de gnomeregan

e reforçando o que eu disse acima, por ser um evento simples, sem grandes combates, qualquer char, seja 90 full equip ou nivel 1 pelado, podera se juntar a nos sem problemas

peço desculpas inclusive pela demora em responder, estive sem luz por mais de 24 horas, mas amanha eu continuo o RP com o Rukadare
"Enquanto ouve os indivíduos chegarem, o drainei ainda completa dizendo:

- Aliás, paladino, creio que vais gostar de conhecer o dito cujo, se ainda estiver vivo. Vejo que gostas de uma bebida, e o caçador que pretendemos resgatar é conhecido por entender de bebidas como ninguém.

O detetive olhou bem a expressão no rosto do paladino, como que adivinhando alguns de seus pensamentos, e finalizou:

- Sei o que estás pensando. Tua expressão no rosto claramente diz que estás se perguntando o que faço aqui. Pensei em divulgar esses cartazes em tavernas, hospedagens, e até em Angra do Butim, mas depois vi que não era boa ideia. Pelo menos aqui na Clareira da Lua, os riscos deste cartaz ser visto por mercenários, piratas, cultistas, e outras pessoas de má índole que possam sabotar a missão, não é deveras alto. Foi por isso que escolhi este lugar.

Após falar com o paladino, ele percebe a chegada de um humano ruivo, e de cara, antes que o mesmo comece a falar, como bom detetive ele já tira algumas conclusões, em pensamento:

Hummm

Ele vem acompanhado de um corvo cuja espécie só é vista em guilneas, e de um cão de caça típico dos caçadores guilneanos.

E além disso, seu jeito de andar, com esses cotovelos e joelhos voltados pra dentro...

Esse sujeito provavelmente não é mais humano

Interessante... Ouvi histórias sobre o faro apurado que os worgens, especialmente os caçadores, desenvolveram... ele poderá ser bem útil


Mas quando o humano se aproxima, o drainei logo de cara fica espantado, e curioso... com algumas de suas atitudes

cospe em frente ao humano e dirige a palavra para o Draenei:

- O único "nós" de que você precisa é composto por mim e meus companheiros animais. Nossas habilidades investigativas chegaram à atenção do próprio Lorde Greymane." - e voltando-se para o humano, continua de maneira informal: - "Nada pessoal, parceiro, mas eu costumo trabalhar melhor sozinho, sabe? Pode ficar tranquilo que eu não vou ignorar esse chamado de resgate, e você pode continuar a relaxar com suas bebidas e a polir sua bela armadura.


Ao ver tais atitudes, o detetive prontamente respondeu:

- Se desejas se juntar a nós, cidadão, serás mais do que bem vindo. A fama dos caçadores guilneanos também chegou a mim há algum tempo, e sei que são muito competentes.

- Porém, não posso tolerar falta de camaradagem dos envolvidos nesta missão uns com os outros. Como bom detetive, pude ouvir muito bem vossa senhoria dizeres que trabalhas sozinho, mas nesta missão ninguém fará nada sozinho. Este será um trabalho em equipe, e deve ser levado com seriedade. Qualquer atitude individualista pode por o plano abaixo.

- Portanto, se desejas participar do resgate, ao menos demontres um pouco mais de humildade. Soberba não é uma qualidade apreciada por nós investigadores.

- E não tentes me ensinar sobre caça. Antes de ser detetive, e antes de mesmo de ser Vindicante, eu já fui caçador também. Nós draineis temos uma longa tradição na arte da caça, que vem desde tempos em que o chão onde pisas sequer existia.

- Caso desejes saber mais sobre a cultura dos caçadores draineicos, sugiro que visites o maior de todos os caçadores que já conheci, Acteon, que se encontra na Ilha Névoa Lazúli. Ele pode te contar mais a nosso respeito.

http://pt.wowhead.com/npc=17110#starts

Eu sou Gorwal o Caçador, sob o tabardo de Darnassus, e pela glória de Guilnéas. Permita-me a honra de levar adiante essa empreitada, senhor Draenei. Não apenas pela honra de meu povo, mas como um emissário da hospitalidade dos Elfos Noturnos, conceda-me esse ato de boa fé para com os anões e para a graça de sua imponente raça.


O Drainei continuou

- Prazer conhecê-lo, me chamo Rukadare, e sou o detetive responsável pelas buscas.

- À propósito, tu me falas de hospitalidade, glória, honra e boa fé. Se realmente acreditas em tais valores, podes começar a praticá-los com o nosso camarada paladino e com os demais indivíduos que possam se apresentar.

Ao terminar de falar com o worgen de ego inflado, sem precisar se virar, ele identifica as passadas de um elfo noturno caçador, acompanhado de uma fera espiritual.

Ele então se vira e passa a observar os dois interagirem, e pensa

Ele sabe conversar com seu animal de caça, e tem uma boa sintonia com o mesmo. Isso é bom... Animais bem treinados que respondem prontamente ao chamado de seu mestre são sempre bem vindos em qualquer missão de busca.


Ele então vê o elfo noturno se dirigir a ele

19/02/2013 03:23Citação de Elrinfasir
– Huh, com licença – disse, assim que se aproximou. Voltou-se para o draenei. – Peço desculpas pela interrupção, mas você por um acaso seria Rukadare, ao qual o panfleto se refere? – questinou, o olhar se alternando entre o panfleto em suas mãos e o sujeito à sua frente. – Tenho interesse em me juntar à expedição, se lhe aprazer.


O detetive prontamente respondeu:
- Sou eu próprio. E se demonstrares durante as buscas o mesmo entusiasmo que demontras agora, certamente serás um grande adicional à nossa equipe. Um caçador com o mesmo entusiasmo que o teu desapareceu misteriosamente num local onde toda a sorte de perigos pode ter dado cabo dele. Mas por motivos que não posso revelar ainda, acredita-se que ainda pode estar vivo, e é isso que vamos descobrir.

Ao falar com o elfo noturno, ele olha mais uma vez a fera, e completa:

- Vejo que tens aí uma fera espiritual. Ela pode ser particularmente útil, já que há relatos plausíveis de atividades estranhamente anormais na região.

O drainei desta forma encerra sua conversa com o caçador, aguardando resposta do mesmo, assim como a dos demais presentes no local. Enquanto isso, ouve o som de mais gente chegando, especialmente um ladino elfo noturno, que lhe chama a atençao

Espere um pouco, eu conheço este rosto de algum lugar

Já sei...


O detetive pega discretamente seu livro de registros, disfarçado de cardápio cenariano, e o folheia.

Aqui... Eu sabia...

A descrição dele bate perfeitamente com a do indivíduo que atende por Tharantor. Em sua ficha consta que ele ajudou no exocismo de uma sacerdotiza em Ventobravo, com a ajuda de uma anã xamã (que tem reputação de beber em serviço).

Interessante... Soube que ele está em busca de serviços mercenários. Quem dera eu tivesse uns trocados sobrando para lhe contratar. Mas acho que tenho algo que ele deseja, e acho que sei como abordá-lo...


O detetive pediu licença a todos por um minuto, e discretamente se dirigiu a um garçom do local e lhe disse:

- Apenas disfarça e entrega isso a ele, tudo bem?

O garçom sorriu, e saiu discretamente. Entregou o bilhete a Tharantor, e no bilhete dizia:

Tens boa reputação como batedor. Precisamos conversar em outro momento, longe daqui. Tenho algo que pode lhe interessar. Mas caso desejes, podes juntar-se a nós aqui na conversa.


O drainei parou um pouco para observar o ambiente ao redor, enquanto aguardava a resposta dos seres ali presentes, bem como dos que podia ouvir chegando..."
No fundo da taverna,um ladino,Coberto com um manto branco com o simbulo da ja extinta theramore.A 2 laminas bem notáveis em suas costas, as gêmeas hakkari.
Intrigado com a movimentação enfrente ão Quadro do Chamado ao Heroísmo, ele abaixa a cabeça e olha fixamente para o seu copo run e imaginando theramore.

Entao ele se levanta e vira o copo e logo verifica o conteudo do quadro!

Chamado ao Resgate

A quem estiver lendo este cartaz, Ventobravo solicita auxílio voluntário de combatentes, veteranos ou novatos, para uma missão de resgate e investigação.

Um anão caçador, que atende pelo nome de Karhol, desapareceu misteriosamente há vários dias nas proximidades de Gnomeregan. Não se tem notícias de seu paradeiro, exceto por algumas testemunhas que falam sobre atividades paranormais nas montanhas do entorno.

Estamos organizando uma expedição para ir atrás destas pistas. Não podemos pagar pessoas para fazer parte da missão, mas a quem desejar se voluntariar, vocês terão a gratidão de Ventobravo, e desse grande caçador caso ainda esteja vivo.

A expedição ainda não tem data marcada, e está em fase final de planejamento estratégico. Por conta da radiação ainda existente na atmosfera acima da região, a poucos metros acima do solo, não podemos simplesmente enviar alguém pelo ar para o local, por isso terá que ser por terra.

Qualquer dúvida, entrar contato com Rukadare, Detetive Responsável pela expedição, que estará nos próximos dias na Clareira da Lua cuidando do recrutamento de voluntários e prestando esclarecimentos.

PS: Não cogitamos, por enquanto, a participação de membros da horda nesta missão, mas o detetive responsável Rukadare está autorizado a prestar informações, a seu critério, de alguns detalhes da situação.


-interessante,acho que esta na hora de fazer algo decente!
a meses que pego apenas trabalhos de assassinatos ou sabotagem contra a Horda.

O ladino bebado, arranca o cartaz do quadro.Como ele era sempre solitario, com arrogancia
grita para todos que estava ali ''esse trabalho ja e meu!"

então ele monta em sua maquina voadora e se dirigi a Clareira da Lua.
aterrisando a sua maquina longe da taverna, e movendo-se em segurança nas sombras, ele
entra na taverna e grita ''quem aqui e Rukadare''
notavelmente embriagado e com o seu rosto coberto com um capuz branco com um olhar de odio talvez pelo que aconteceu a theramore, dava para ver o porque ele era chamado chamado de fantasma branco entre seus. inimigos.
Pode contar comigo lá titio.
20/02/2013 14:05Citação de Arahnid
Pode contar comigo lá titio.


opa, assim que se fala garoto

aproveita e participa um pouco da etapa in forum do RP aqui também
Galera, eu editei o tópico acima pra marcar o evento, deem uma olhada

Junte-se à conversa

Voltar ao fórum